Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Ir e vir de Portugal de bicicleta era o novo desafio de António Gonçalves Barbosa residente em Ris Orangis (91). Com 70 anos de idade, o português originário de Mortágua pegou na sua bicicleta no passado dia 5 de junho e foi em direção à sua terra natal, onde chegou 5 dias depois, no dia 10 de junho.

Foi antes do regresso também de bicicleta, previsto uns dias depois, na segunda feira, 19 de junho, que o ciclista explicou ao LusoJornal o que o motivava.

“Já tinha feito esta viagem de bicicleta em 2009. Sempre quis voltar a fazê-lo e prometi que para os meus 70 anos repetia esta aventura”. Foi apenas uns dias antes que decidiu arrancar para Portugal. “Reconheço que não preparei com muita antecedência porque já conheço o trajeto”.

Mesmo se António Barbosa adora andar de bicicleta e regularmente anda quilómetros e quilómetros, confessou que fisicamente esta viagem foi mais difícil do que a primeira. “Era mais novo quando fiz esta viagem pela primeira vez, agora senti que o meu corpo tinha mais dificuldades para aguentar. O tempo também não me ajudou muito, já que havia muito vento contrário e apanhei alguma chuva em Espanha”, acrescentou.

Foi obviamente pelas estradas secundárias que o Português marcou o seu trajeto. O percurso foi praticamente o mesmo que o anterior, contudo com algumas alterações feitas nas estradas. O trajeto de 1.800 kms percorrido em 2009 reduziu para 1.760 kms este ano. Mas com uma média de 16 km/hora, reconheceu que podia ter ido mais rápido se o tempo não o tivesse perturbado. “Já conhecia o caminho, mas ninguém pode prever as condições climáticas. Os últimos 50 kms a seguir a Salamanca foram os mais difíceis, mas tudo correu bem”.

Após uns dias de descanso, António Barbosa regressa a França na mesma bicicleta e com a sua mochila. “Apenas levo uma roupa e viajo leve, com apenas 5 kgs! A vinda apenas dormia uma noite em cada duas, para poder avançar o mais rápido possível”. A medida que ia parando ia dando notícias à família e ia tirando algumas fotografias”.

Conhecido como aventureiro e apaixonado pelo cicloturismo, é licenciado na Federação Francesa de Cicloturismo e faz parte do Clube de l’Union Sportive de Ris Orangis. Cada vez que o tempo permite, gosta de sair de bicicleta. “Faço anualmente entre 12.000 a 15.000 kms». Regularmente participa em vários circuitos em França com o clube e confiou que uma vez que se reformou dedicou-se ainda mais à sua paixão. Participou também pela 5° vez na grande concentração de cicloturismo de Paris-Brest-Paris. “A minha esposa já me conhece e apoiou-me desde sempre nos meus projetos e nas minhas viagens”, referiu.

Em França há 52 anos, adora o seu país natal. Várias vezes vai a Portugal durante o ano matar as saudades. “Não sei se voltarei a repetir esta viagem, a idade começa a pesar, mas enquanto puder andarei de bicicleta”, concluiu feliz.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
7.4