Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

AS Montredon-Labessonnié 2-2 (1-3 g.p.) Sporting FC

AS Montredon-Labessonnié: Marty, Gansinat, Guiraud, Cals, Barthe, Condon, Milhau, Nou, C. Fleury, Ruffin, Barthe, H. Fleury, Durifle e Combelles. Treinador: Samuel Combelles. Golos: C. Fleury (45+2 min), Nou (53 min).

Sporting FC: Pélissier, Belhachemi, Janis, James, Enjalran, Dalquier, De Melo, Guimba, Mialon, Hamdaoui, Raji, Benkassou e Ali Saidi. Treinador: Mustapha Dakhlaoui. Golos: Raji (27 min), Guimba (32 min).

 

Não há duas sem três. Foi ao fim de três anos que os Leões de Albi conseguiram o seu principal objetivo, a subida de divisão, e foi a terceira vez que as duas formações mediram forças esta época.

No Championnat de 2ème division du Tarn, poule B, inteiramente dominado pelo Sporting, primeiro classificado com 2 derrotas, 2 empates, 14 vitórias, melhor defesa e melhor ataque, a formação montredonnaise também lutou pelo aceso à divisão superior, mas perdeu duas vezes com os albigeois, em casa por 2-1 e fora por 3-2, duas vitorias pela margem mínima, que faziam adivinhar uma final de Taça equilibrada.

Derrotada o ano transato na final da taça Challenge, a equipa verde e branca entrou timidamente na partida, a formação de Montredon parecia-se adaptar melhor ao calor abrasador que pairava sobre o estádio Noël Pélissou em Graulhet, multiplicando as ofensivas e as oportunidades de abrir o ativo. A partida foi-se equilibrando e logo a seguir à primeira pausa para os jogadores se desalterarem, o Sporting inaugurou o marcador, golo de Raji (27 min), imitado cinco minutos depois por Guimba. Já em tempo de compensação os montredonnais reduziram para 2-1, golo de Fleury, resultado com o qual os adversários regressaram aos balneários.

Com ares de dérbi Lisboeta, a equipa de Montredon vestida de vermelho, chegou à igualdade no início de uma segunda parte jogada num ritmo mais lento, mas com muitas oportunidades para ambos os lados. David Marty e Laurent Pélissier, autores de defesas decisivas, impediram durante o tempo regulamentar, e mais tarde no prolongamento, um desfecho diferente que o desempate na marcação de grandes penalidades.

A ingrata prova de bolas paradas teve um herói, Laurent Pélissier, guarda-redes sportinguista, depois do primeiro tiro dos encarnados ter embatido no poste, seguiram-se duas defesas de grande nível, o suficiente para destabilizar o opositor que viu sair dos pés de Jacques-Thomas Guimba o quarto e vitorioso penálti, seguido de uma explosão de alegria que se alastrou pelo relvado e a bancada.

“Vivemos uma época extraordinária, subimos de divisão e ganhámos a Taça, estou orgulhoso dos meus jogadores, e de ter oferecido à Associação Desportiva e Cultural dos Portugueses de Albi, a Dobradinha”, palavras do Treinador Mustapha Dakhlaoui, dirigidas ao LusoJornal em plena euforia dos festejos.

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
3.7