Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O cofundador da Altice Armando Pereira queixou-se esta semana que o Governo português “muitas vezes não vê a importância” do investimento daquele grupo francês em Portugal.

À margem da inauguração do segundo ‘call center’ da Altice em Vieira do Minho, Armando Pereira garantiu que o investimento em Portugal vai continuar, mesmo que por vezes pareça que “não gostam” do grupo que comprou a PT Portugal. “A Altice investe em Portugal de uma maneira muito importante. Na semana passada aconteceu uma coisa importante aqui em Portugal, mas penso que, muitas vezes, o Governo português não vê essa importância”, criticou.

Em 14 de julho, o grupo Altice anunciou que chegou a acordo com a Prisa para a compra, por 440 milhões de euros, da Media Capital SGPS, SA, que detém o canal de televisão TVI.

Alguns Partidos já pediram ao Governo português para travar o negócio. Armando Pereira disse não entender esta oposição ao negócio, mas garantiu que o grupo Altice vai continuar a investir em Portugal. “Mesmo se às vezes nos dizem ‘para que vêm para aqui, eles não nos querem, penso que não gostam de nós’, vamos continuar”, assegurou.

Natural de Guilhofrei, Vieira do Minho, Armando Pereira emigrou para França ainda adolescente, hoje está à frente de um dos maiores grupos franceses e vincou que vai continuar a investir na sua terra e no seu país. “Nós não fazemos política, nós somos industriais”, lembrou.

O segundo ‘call center’ da Altice, agora inaugurado, deverá criar cerca de 300 postos de trabalho, tendo arrancado esta semana com meia centena. No primeiro, que abriu em maio de 2015, já trabalham 110 pessoas.

A Altice já tem 12 ‘call centers’ em Portugal.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.3