Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, felicitou o Primeiro-Ministro português, António Costa, por ter conseguido conciliar a “retoma da economia” com “uma política de crescimento e de justiça social”.

“Quero aqui congratular-me com a situação económica de Portugal, que está a melhorar, com um crescimento que acelera, com um défice que recua, um investimento que acelera, o que é uma boa notícia para Portugal mas também para a zona euro. Até porque a zona euro não pode avançar se alguns dos seus Estados-membros estiverem a braços com dificuldades”, acentuou Macron, numa declaração após um almoço com António Costa no Palácio do Eliseu, em Paris.

O Chefe de Estado francês aproveitou para elogiar António Costa por ter conciliado o crescimento económico com uma política de cariz social. “Queria felicitar António Costa pela sua ação, que permitiu conciliar, ao mesmo tempo, o restabelecimento das finanças públicas com uma política de crescimento e de justiça social, que permite dar credibilidade a esta retoma económica”, assinalou o Presidente francês.

Macron reiterou depois a “vontade comum” de Portugal e França em avançarem em termos de integração e transformação da União económica e Monetária.

 

Reforma da UEM é tema central da reunião de Costa com Macron

O Primeiro-Ministro, António Costa, colocou entre os temas centrais do seu encontro com o Presidente francês, Emmanuel Macron, na sexta-feira, em Paris, o “caráter fundamental” da conclusão da reforma da União Económica e Monetária (UEM).

Fonte do Executivo disse à Lusa que, durante o almoço de trabalho no Palácio do Eliseu – programa que foi acertado no Conselho Europeu de 22 e 23 de junho passado -, o Primeiro-Ministro português e o Chefe de Estado francês analisaram, além das relações bilaterais entre os dois países, as questões que ambos consideram “decisivas para o futuro da Europa”.

Ora, na perspetiva de António Costa, “as consequências extremamente gravosas que a última crise económica e financeira teve para Portugal” permitem tirar a conclusão de que “será impossível progredir no projeto europeu sem reformar a UEM”.

“Estou convicto de que os avanços não são concretizáveis sem antes procedermos à reforma da UEM e às necessárias adaptações dos instrumentos de que a União Europeia dispõe, como o Orçamento, para criar as condições de crescimento económico e criação de mais e melhor emprego em todos os Estados-membros”, sustentou o Primeiro-Ministro numa recente conferência realizada em Lisboa sobre o futuro da União Europeia.

Fonte do Executivo referiu ainda à Lusa que as posições de António Costa e Emmanuel Macron “são próximas” do ponto de vista político, designadamente no que respeita ao caminho que deve ser seguido pela União Europeia.

Logo após a eleição de Macron, no passado dia 07 de maio, António Costa felicitou-o, considerando tratar-se de “uma boa notícia para França, para a Europa e para Portugal”.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
5.8