Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Dois dias de música eletrónica vão transformar o Estádio de Leiria na “maior pista de dança do país”, prometeu a organização do festival Dance Floor, que se realiza na sexta-feira e no sábado.

Dezena e meia de DJ integram o programa do festival, que nesta terceira edição se vira totalmente para a música eletrónica, numa aposta que pretende captar público jovem e preencher a lacuna que a organização identifica na zona Centro.

“Nas primeiras edições do Dance Floor associámos um artista com um DJ. Mas comecei a ver o mapa e percebi que havia um buraco no Centro em termos de música eletrónica. E decidi transformá-lo num festival de música eletrónica”, explicou Tiago Martins, residente em Paris, responsável da produtora 2MEvent.

Alinhado no movimento “hardstyle” da eletrónica, o festival do Estádio de Leiria conta com nomes como Headhunterz, da Holanda, MAKJ, dos Estados Unidos da América, Yves V, da Bélgica, ou o português Kura.

Kryder, Massivedrum, Coone, Rich Mendes, Djeff, Piruka, Jimmy P, Bubba Brothers, Sunshine, Alex T e KaiserT completam o cartaz, repartindo-se pelos dois dias do festival que quer “transformar o Estádio de Leiria na maior pista de dança do país”, afirma Tiago Martins.

São esperados 20 mil participantes nos dois dias do evento, que começou há três anos. “É uma estratégia a longo prazo. Está a crescer cada vez mais. Estamos a transformar este num evento internacional. Leiria está a entrar no mapa dos festivais internacionais e já é falada no estrangeiro por causa do Dance Floor”, sublinha o organizador.

Para o município, a realização de mais este festival no Estádio Municipal “é muito importante na estratégia de captação e afirmação de Leiria no panorama nacional”.

O Vice-Presidente da autarquia, Gonçalo Lopes, considera que o evento “enriquece a ideia de Leiria enquanto cidade de experiências diferenciadoras” e “contribui para o rejuvenescimento da cidade e da região”.

Além disso, o autarca nota que o Dance Floor se assume como “a possibilidade de pessoas que estão no estrangeiro a trabalhar se juntem em Leiria para celebrar o regresso a Portugal”.

“Há um ambiente único neste festival”, que, por isso, tem “um impacto internacional que nenhum dos outros festivais realizados em Portugal tem”, nota Gonçalo Lopes.

A organização do Dance Floor anunciou, entretanto, a intenção de entregar um euro por cada bilhete vendido à Associação Solidariedade às Vítimas do Incêndio de Leiria, criada pela Comunidade portuguesa a residir em França.

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
9.2