Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Bryan, o mais desconhecido dos irmãos Alaphilippe, estreou-se esta segunda-feira a vencer entre os profissionais na terceira etapa da 79ª Volta a Portugal, deixando o irmão Julian exultante de orgulho do feito do ciclista francês da Armée de Terre.

Na intrincada chegada a Bragança, o ‘novato’ correspondeu na perfeição ao trabalho dos seus colegas e conquistou o seu primeiro triunfo como profissional e o segundo da sua equipa nesta edição, na frente de um retalhado pelotão onde estava o camisola amarela Raúl Alarcón (W52-FC Porto), assim como todos os favoritos, muito cautelosos na véspera da ascensão à Senhora da Graça.

“Estou muito contente, é a segunda vitória em etapas da equipa. É genial, um verdadeiro bónus! Não estamos cá para a classificação geral, mas sim para somar etapas e, até agora, está a correr super bem. Vim cá para tentar ganhar uma etapa, e hoje sabia que era a minha última oportunidade. Correu bem”, resumiu Bryan Alaphilippe, de Champanhe na mão, depois de ter cortado a meta.

Aos 21 anos, Bryan, cujo rosto parece copiado a papel químico do irmão Julian, estreou-se a vencer, no seu terceiro ano na Armée de Terre, e encheu de vaidade aquele que é um dos mais promissores ciclistas franceses.

“Feliz e orgulhoso por ti, meu irmão pequeno, que conquistaste a tua primeira vitória profissional na Volta a Portugal”, escreveu, desde França, o vencedor da Volta à Califórnia de 2016 e ‘Vice’ da Liège-Bastogne-Liège (2015) e da Flèche Wallone (2016 e 2015).

Marco Martins com Lusa

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.9