Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O jovem português David Alamo Mendes foi inocentado na sexta-feira passada, pelo Tribunal de Toulouse, num processo complexo da morte de Quentin Fisset. John Gantois, de 25 anos e Charli Ramirez, de 24 anos foram considerados culpados pelo mesmo Tribunal e devem cumprir penas de prisão de 15 e 10 anos, respetivamente.

David Alamo Mendes, com 25 anos de idade, radicado na região de Toulouse desde 2011, foi considerado culpado por ter dado o primeiro murro na vítima e condenado a uma multa de 1.500 euros.

O caso data de 11 de maio de 2014, em frente do bar Le Puerto Habana, em Toulouse, quando se gera uma discussão enorme, com pancadaria, que levou à morte de Quentin Fisset-Bonfanti,com arma branca.

Durante o julgamento, os Advogados de David Alamo Mendes, Elodie Baudras e Ferdinand Djammen Nzepa, fizeram tudo para separar os conflitos, alegando que o conflito que envolveu o jovem português, não foi o mesmo que envolveu os outros três jovens, nomeadamente a vítima.

O Procurador da Justiça David Sénat não era da mesma opinião. Argumentou que tudo começou com o murro de David Alamo Mendes e que sem esse murro, nada mais teria acontecido.

O jovem português teria reagido de forma violenta apenas porque a motoreta do amigo caiu. «Tudo isto por banalidades» disse David Sénat que considerou que sem os apelos de violência do jovem português o caso teria ficado por ali. Mas os jurados não o seguiram e inocentaram David Alamo Mendes.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
5.1