Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Cívica: Mural de Hopare numa escola de Saint Michel-sur-Orge

DR LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira

Foi inaugurada esta sexta-feira, depois das aulas, o novo mural da escola Lamartine, em Saint Michel-sur-Orge (91), pintado pelos artistas Hopare et Caroline Karénine.

Hopare é um jovem artista lusodescendente e os custos financeiros com o mural foram suportados pela Cívica, a associação dos autarcas de origem portuguesa em França.

A inauguração foi presidida pela Maire da cidade, na presença de Paulo Marques, Presidente da Cívica, do Deputado Carlos Gonçalves, do Cônsul Geral Adjunto de Portugal em Paris, João de Melo Alvim e da Coordenadora do ensino de português em França, Adelaide Cristóvão.

«Esta foi uma solicitação de uma das membros da Cívica que nos fez chegar este projeto em conjunto com a Mairie. Ora, a Cívica tem feito intervenções na área da educação para a cidadania junto das crianças» explica Paulo Marques ao LusoJornal.

«Sempre tivemos boas relações com a Cívica, e sabemos que a associação está bastante implicada nas causas relacionadas com a cidadania, por isso a nossa relação foi natural e passou-se muito bem» confirmou ao LusoJornal Sophie Rigault, Maire de Saint Michel-sur-Orge. «Temos um membro do Conselho municipal que é de origem portuguesa e temos uma geminação com Caldas das Taipas» diz Sophie Rigault. «Aqui moram muitos Portugueses, é uma Comunidade que apreciamos muito, como apreciamos aliás todas as Comunidades residentes aqui. Por isso, este projeto permite também um aproximar das pessoas».

«Quem esteve aqui, reparou como o jovem artista, oriundo da nossa Comunidade, interagiu com as crianças e como pintaram as paredes desta escola de um bairro social» salientou o Deputado Carlos Gonçalves. «O que aqui vemos mostra que nós somos cidadãos do mundo e mostra que a França também acolheu gente de todo o mundo. Foi um grande momento» comentou para o LusoJornal.

«Entendemos que é importante estar nesta inauguração, sobretudo nos dias de hoje em que parece que existem grandes receios em tudo o que tem a ver com partilhas, com comunidades e com tolerância. Haver uma iniciativa deste género, ainda por cima apoiada por uma associação de autarcas portugueses é obvio que o Consulado tinha que se associar e estar aqui presente» disse João de Melo Alvim, Cônsul Geral Adjunto de Portugal em Paris.

Hopare – aliás Alexandre Monteiro – com 25 anos, nasceu em Limours. Sempre adorou desenhar, e acabou por desenvolver a sua arte.

Tem exposto nos quatro cantos do mundo, desde Hong Kong a Nova Iorque, mas desta vez passou uma semana com as crianças da escola Lamartine em Saint Michel-sur-Orge.

«Sabiamos que era um desafio diferente daquele que estamos habituados. Normalmente pintamos em meio urbano e praticamente não encontramos as pessoas, porque estamos pendurados a 10 metros de altura e aqui sabiamos que tínhamos esta partilha com as crianças» explica Hopare em declarações ao LusoJornal. «Queriamos pintar duas meninas, mas o nosso desenho foi evoluindo durante a semana em contacto com as crianças. Foi muito positivo».

Adelaide Cristóvão considera que «a partilha de um espaço como estes, implicando diretamente as crianças com artistas é a melhor forma de viver em conjunto na escola». A Coordenadora do ensino de português em França junto da Embaixada de Portugal explicou que «o próprio desenho aponta para uma diferenciação entre as crianças que frequentam a escola e implicá-los num projeto com artistas, é um projeto interessantissimo. Para além que a escola fica ainda mais aquele espaço que, não só frequentam, mas também onde vivem e onde se implicam. É uma ideia louvável».

João de Melo Alvim também considera oportuna esta iniciativa. «É possível alertá-los para conceitos essenciais da cidadania, nomeadamente em termos de valores de comunidade e valores de partilha, para terem a noção que o mundo é maior do que às vezes os pais e a sociedade onde eles estão inseridos demonstra. Podem não sair de um momento para o outro cidadãos exemplares, mas começa a trilhar-se um caminho que muitas vezes é esquecido. Inculcar-lhes valores de cidadania, alertá-los para comportamentos cívicos é essencial e este tipo de iniciativa em que se trazem artistas de renome, em que se envolve também atores extra-escolares – os alunos, os professores e os autarcas -, parece-nos que é um bom exemplo que é dado, aos pais e aos filhos».

O Cônsul Geral Adjunto de Portugal considera que «como estamos a falar de algo que envolve jovens, nunca é uma despesa, é um investimento. E tudo o que são eventos de cidadania, é com todo o gosto que nos associamos».

A próxima iniciativa da associação Cívica nesta área vai ser o lançamento de uma banda desenhada sobre as Assembleias municipais das crianças.

 

 

Cursos Instituto

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 25 Votos
8.3