Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Associação ‘Agora’ comemorou 20 anos na Sala Jean Vilar que vai ser destruída

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

A associação AGORA festejou no sábado passado o seu 20° aniversário na sala Jean Villar, em Argenteuil (95). O elenco artístico impressionou uma vez mais com dois convidados de honra: Jorge Ferreira e Johnny. Também os cantores Kathleen et Christian animaram a sala que se encontrava bastante cheia.

O público aplaudiu imenso os artistas e aclamou o jovem cantor lusodescendente Johnny. «Para mim esta sala é como o Olympia, já pisaram por aqui vários artistas de grande talento e este palco é sem dúvida muito prestigioso para nós Portugueses. Percebi que esta sala ia ser destruída, e é pena, porque por aqui passaram muitos nomes portugueses».

Johnny recordou ainda quando era mais jovem e que sonhava subir para aquele palco. «Já tive a oportunidade de vir aqui algumas vezes e ver tanta gente a chamar por mim é de facto muito gratificante, mas estou consciente de que há muito caminho a percorrer», disse ao LusoJornal.

Enrico de Rosa, Presidente da associação, começou por demonstrar a sua satisfação. No final do espetáculo explicou ao LusoJornal que havia outras associações em Argenteuil, e que nem sempre era fácil obter uma sala. «Fazemos festas para pagar as nossas atividades, senão seria muito difícil».

Foi no dia 24 de dezembro de 1997, que a associação viu a luz do dia «e criámos esta associação com uma equipa de jovens, que na altura não tinha um espaço para poder conviver e partilhar uns com os outros, o convívio à moda portuguesa, e esta foi a melhor maneira».

Mas o responsável já na altura não queria propor folclore, nem futebol, porque outras associações já o faziam. «Preferimos ser os primeiros a propor atividades diferentes e nomeadamente a nível cultural. Trouxemos os Santamaria, na altura os boys band estavam na moda e por esta sala passaram muitos» contou ao LusoJornal.

Sobre a destruição da sala Jean Vilar, mítica para os Portugueses, o Enrico de Rosa explicou que devia ter sido no mês de fevereiro. «Já foi adiado 3 vezes, mas agora está previsto para breve, vai haver uma nova sala ao lado, com um centro comercial, um ginásio e um restaurante» explicou. «Aqui temos 2 salas mas no futuro teremos só uma sala com uma forte capacidade, mas a nova sala não pertencerá à municipalidade, mas sim a um particular, contudo teremos uma sala provisória que nos permitirá continuar as nossas atividades», delarouao LusoJornal.

Segundo Enrico de Rosa, o futuro anuncia-se complicado para as associações portuguesas de Argenteuil, mas espera confiante que estas modificações não perturbem muito o funcionamento da sua associação que tem feito «um trabalho incrível» junto da Comunidade portuguesa.

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
8.0