Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Fromagerie Cantin: casal franco-português tem uma das melhores queijarias de Paris

LusoJornal / Carlos Pereira LusoJornal / Carlos Pereira

A crítica é unâmime e diz que é «a melhor queijaria de Paris». Chama-se Fromagerie Cantin e está na rue du Champs de Mars, a dois passos da Tour Eiffel.

«Costumo dizer que nasci dentro de um Camembert» diz Marie-Anne Cantin, a proprietária da loja. «Mas no fundo, estou a mentir quando digo isto, porque eu nasci em abril e os meus pais criaram esta casa em setembro de 1950, no ano em que nasci».

Com 20 anos, Marie-Anne Cantin jurava a pés juntos que não queria ter a profissão dos pais, mas «finalmente caí na marmita» confessa ao LusoJornal. Em 1982 instalou a queijaria familiar na rue du Champs de Mars, com o marido, Antoine Ferreira Dias.

Antoine Ferreira Dias é natural de Paços de Ferreira. Os pais emigraram em 1960. «Primeiro veio o meu pai e depois a minha mãe, mas a seguir à Revolução em 1974 eles regressaram a Portugal e eu decidi fazer a minha vida aqui».

Na família de Antoine Ferreira Dias é-se marceneiro de geração em geração. «É natural porque Paços de Ferreira é a capital do móvel» lembra. Em jovem nunca pensou trabalhar com queijos, mas a vida fez com que em 1968, também ele caisse na marmita! «E acabou por ser uma paixão», confessa.

A Fromagerie Cantin tem mais de 180 variedades de queijos. «Em França há cerca de 300 variedades» explica Antoine Ferreira Dias. «Porque as vacas da Normandie não são as mesmas que as vacas da Alsácia, nem o leite é o mesmo. O queijo também não».

Mas não se vende só queijo na Cantin. Também vende alguns vinhos portugueses «que acompanham maravilhosamente os queijos», preparações de fruta e até marmelada.

Desde a viagem de Lua de Mel em Montegordo, no Algarve, que o casal visita regularmente Portugal. «Estou casada há 40 anos e há 40 anos que conheço Portugal» diz Marie Anne Cantin que percebe quando lhe falam português, mas não se sente à vontade para se exprimir na língua de Camões.

«O país evoluiu imenso. Antigamente apenas se viam alguns queijos como aquelas bolas vermelhas, com pouco sabor… e depois descobri o queijo da Serra da Estrela que é extraordinário» conta ao LusoJornal.

Mais recentemente, foi numa aldeia próxima de Paços de Ferreira que encontraram um queijo que vendem em França. «Trata-se de um Padre que decidiu reativar uma leitaria. Faço aí um queijo com um ótimo sabor, muito digno, como se gosta de comer aqui em França».

E é assim, que numa das mais tradicionais queijarias de Paris, se ajuda também a escoar produtos portugueses!

 

Fidelidade

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 10 Votos
7.4