Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A galeria francesa Jeanne Bucher Jaeger vai inaugurar um espaço de experimentação em Lisboa, no final de janeiro, para «mostrar coisas que não são vistas regularmente em Portugal e em Paris», disse à Lusa Rui Freire, que o vai dirigir. «É um espaço de experimentação, onde nós podemos mostrar obras de artistas modernos, contemporâneos e outras peças que nos interessam».

Depois de Vieira da Silva e de Arpad Szenes, a galeria Jeanne Bucher Jaeger, fundada em 1925, «sempre manteve uma ligação com Portugal e com artistas portugueses», representando, atualmente, Miguel Branco, Rui Moreira e Michael Biberstein. «Sempre tivemos uma relação com Portugal, com artistas portugueses, sempre seguimos aquilo que se fez em Portugal e, a dada altura, surgiu a ideia de abrir um espaço em Lisboa, porque vivemos em Portugal neste momento, e sobretudo em Lisboa, um momento bastante particular em termos de pessoas, de frequentação, de turismo e de pessoas ligadas às artes e que estão a descobrir Portugal e a descobrir que há muito para fazer ainda em Portugal», continuou.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
3.6