Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O jovem condutor da carrinha envolvida no acidente de viação em que morreram 12 Portugueses em 24 de março do ano passado, na região de Moulins, e o tio, proprietário da empresa detentora do veículo, só devem ser julgados em 2018.

A informação foi confirmada à Lusa pelo Advogado do jovem motorista português, Antoine Jauvat, que explicou que terminou a fase de instrução e que o caso transita para julgamento no Tribunal Correcional de Moulins.

O condutor, na ocasião com 19 anos e atualmente com 21, e o proprietário do veículo, tinham sido acusados de homicídio involuntário e ferimentos involuntários agravados. O advogado precisou que o jovem “continua sob controlo judiciário” e “trabalha numa empresa de construção civil” em França.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.7