Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A 40ª edição do Rali Dakar em todo-o-terreno arranca este sábado de Lima, no Perú, e termina no dia 20 de janeiro, em Córdoba, na Argentina.

O ‘veterano’ Carlos Sousa regressa à prova mítica, ao volante de um Renault Duster, com o copiloto francês Pascal Maimon e a dupla franco-portuguesa pretende alcançar um lugar no ‘top 10’.

Esta é a 40ª edição do Rali Dakar e a 10ª em solo sul-americano, depois da insegurança dos territórios africanos que viram nascer esta prova. Apesar dos 52 anos, Carlos Sousa, o piloto de Almada, é um dos mais experientes do pelotão, com 17 participações desde a estreia, em 1996, e um terceiro lugar em 2003 como maior destaque. Além do pódio, Carlos Sousa conseguiu terminar por 10 vezes no ‘top 10’ da prova, o que demonstra a consistência que tem demonstrado na corrida.

Por seu lado Pascal Maimon, participa na prova desde os anos 1980 e, em 2002, sagrou-se vencedor ao lado do japonês Hiroshi Masuoka.

“Sendo a primeira semana mais técnica, vem mais ao de cima a experiência e menos a rapidez do piloto, e com tantos dias de prova já espero tratar o carro por tu quando sair da areia”, confessou à Lusa.

Ainda assim, as muitas dificuldades que o Dakar apresenta são relativas, uma vez que “o que é difícil para um piloto num dia, para outro é no dia seguinte”, e todo o tipo de situações inesperadas podem acontecer no rali, desde “problemas técnicos, a saídas de estrada” que afetam a performance dos participantes.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 0 Votos
0.0