Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Terminadas as grandes festas do Natal, Ano Novo e Epifania, o segundo domingo de 2018 propõe-nos uma página do Evangelho, onde encontramos Jesus Cristo já adulto. São-nos descritos os passos iniciais da Sua vida pública e o momento em que os primeiros discípulos decidem segui-l’O. Graças a este texto sabemos quais foram as primeiras palavras trocadas entre eles…

Tudo começa com uma pergunta de Jesus: «Que procurais?» É uma questão que revela o enorme respeito de Deus pelos seus filhos, pois Jesus sabe que a fé pode não ser “busca”, mas sim refúgio; que por vezes os homens não querem um “Senhor”, mas sim um patrão; que não desejam a “graça”, mas sim uma esmola que resolva os problemas. A pergunta de Jesus sugere que é importante termos sempre consciência do objectivo que perseguimos e do que esperamos d’Ele.

Os discípulos respondem com uma outra questão: «Rabi, onde moras?» É a forma que eles encontram de exprimir a vontade de aderir a Cristo, de habitar com Ele, de estabelecer comunhão de vida. Ao chamar-Lhe “rabi” (que significa “mestre”), afirmam o desejo de escutar os seus ensinamentos. A referência à “morada” de Jesus diz-nos que estão dispostos a ficar perto d’Ele e a viver sob a Sua influência.

«Vinde ver». O convite de Jesus significa que Ele acolhe os novos discípulos. “Ir” e “ver” são os verbos fundamentais, pois a fé só se pode alcançar depois de uma experiência pessoal de comunhão e de encontro com o Senhor… Não bastará nunca escutar apenas o testemunho de alguém que já acredita: é necessário “ir” e “ver” pessoalmente!

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
7.0