Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Ministério Público abriu um inquérito ao caso da suspeita e fraude eleitoral em Montalegre, onde nas eleições autárquicas centenas de emigrantes foram recebidos por um autarca no aeroporto Francisco Sá Carneiro e transportados para a autarquia onde votariam.

Segundo uma resposta enviada à Lusa pela Procuradoria-Geral da República, foi aberto um inquérito “onde estão em investigação estes factos”.

O caso foi revelado há uma semana pelo programa ‘Sexta às 9’, da RTP, que indicava que estes emigrantes tinham à sua espera no aeroporto o Presidente da junta União de Freguesias de Meixedo e Padronelos, recandidato nas listas do PS para o concelho de Montalegre, distrito de Vila Real.

O programa mostrava que a entrada dos emigrantes nos autocarros que os aguardavam era coordenada pelo autarca.

No domingo, dia da votação, o ‘Sexta às 9’ relatou ter encontrado os mesmos emigrantes a votarem na freguesia onde o Presidente de junta acabou por ser reeleito: a União de Freguesias de Meixedo e Padronelos.

Segundo a página da Comissão Nacional de Eleições, o PS ganhou na União de Freguesias de Meixedo e Padronelos com 56,88% dos votos (157), com mais 53 votos do que a coligação que juntou o PSD e o CDS/PP (37,68%; 104 votos).

Nas anteriores autárquicas, em 2013, o PS também tinha ganhado com 52,17% (180) dos votos, contra 43,48% (150) do PSD/CDS.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
5.5