Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

José Sequeira regressou a Portugal depois de 41 anos em França

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

Após 41 anos a trabalhar em França, José Sequeira preferiu ir desfrutar da reforma em Portugal com a esposa. Mas no âmbito do seu aniversário voltou à região parisiense, para festejar os seus 66 anos com os familiares e amigos mais próximos.

«Vim com muito prazer, tenho uma família muito grande, mas os mais próximos estão aqui e é importante estar aqui presente com todos eles. São momentos importantes da nossa vida e que devemos saber bem aproveitar tanto cá como em Portugal», começou por explicar ao LusoJornal.

«Tenho lá uma casa com terreno e o meu sogro como já não podia ocupar-se mais do terreno, tinha que ter alguém que se ocupasse dele e a partir de aí, decidi passar mais tempo em Portugal. A França continua no meu coração, não critico este país, contudo sinto-me melhor em Portugal. Mesmo a nível da saúde, sinto-me melhor, aqui doía-me o joelho e lá, a dor passou»!

Foi no momento de se aposentar que José Sequeira tomou a decisão de se mudar para Portugal, mas primeiro teve que falar e convencer a esposa. «Ela concordou comigo, na altura ela ainda tinha os pais lá e somos Beirões, da terra do Viriato, é uma linda terra, temos ar puro e é uma boa terra para viver».

Uma das paixões de José Sequeira é tocar concertina. Atualmente reformado passa algum tempo agarrado à concertina. «Levei daqui uma concertina e procurei lá um professor que me ensinasse e foi assim que conseguimos criar um grupo de concertinas de Folgosinho, do qual eu tenho muito prazer de fazer parte desse grupo».

Mas José Sequeira na realidade ocupa-se bem durante a semana e ao longo do ano. «Na primavera, tenho que me ocupar dos legumes e cultivar a terra que ainda dá bastante trabalho. Mas o convívio com os amigos também é importante».

Juntamente com a esposa participa quando pode em algumas excursões pelo país. «Estive em Oeiras no ano passado e vamos aproveitando um pouco após 41 anos de trabalho».

«Trabalhei muito tempo em França e agora queremos gozar a nossa reforma. Tanto em Portugal como aqui em França». Consciente de que alguns Portugueses preferem optar por ficar aqui, precisa no entanto que a medecina em Portugal também está muito desenvolvida. «Lá também temos bons hospitais e bon médicos, a lista de espera é um pouco longa mas finalmente é como aqui».

Questionado sobre mais tarde na hora de ir para o lar, confessou que prefere ir para o lar em Portugal. «Aqui é muito caro e constato que vejo muita gente na rua, ou em casa dos familiares todos encurvados, porque não têm dinheiro para pagar o lar enquanto em Portugal é mais barato», sublinhou.

Para José Sequeira, Portugal é um país formidável, «vive-se lá bem e come-se lá muito bem, embora tenho cá residência principal, divido o meu tempo entre os dois países. Portugal é um país lindo e que tem muito para oferecer, mas cada um é livre de fazer da sua vida o que quiser», concluiu feliz.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 15 Votos
6.4