Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A candidata às últimas eleições legislativas pelo círculo eleitoral da Europa, Luísa Semedo, apresentou esta semana um pedido de demissão do Partido Socialista.

“Após amadurecida reflexão, decidi deixar de ser militante do Partido Socialista, e consequentemente de fazer parte desta Secção e da sua Direção” escreveu Luísa Semedo numa carta enviada a António Oliveira, Secretário Coordenador da Secção do Partido Socialista de Paris, da qual fazia parte. “Percebi há muito, e alguns de vós sabem-no ou compreenderam, que não possuo a convicção necessária para a militância partidária que muito admiro e respeito”.

Luísa Semedo, que é docente universitária e Colaboradora permanente da Santa Casa da Misericórdia de Paris, explicou que “sempre considerei um Partido como um meio e não um fim”.

Luísa Semedo foi candidata às últimas eleições legislativas, em segundo lugar numa lista da qual Paulo Pisco foi eleito Deputado. “O meu ‘engagement’ tinha como únicos objetivos: derrotar a Direita ‘austeritária’ que estava a matar o nosso país e defender os direitos dos Portugueses residentes no estrangeiro. Esse ‘engagement’ continuará sempre, mas de outras formas não-partidárias”.

Explicando ao LusoJornal que não se muda para outro Partido, a também Conselheira das Comunidades Portuguesas explica que “eu acredito e sempre acreditarei nos valores da Esquerda progressista, humanista, defensora em primeiro lugar dos mais frágeis da nossa sociedade. E continuarei a lutar ao vosso lado, e de todos aqueles que acreditam nestes valores, com todos os meios e forças que tenha à minha disposição”.

Na carta à qual o LusoJornal teve acesso, Luísa Semedo diz que “é uma decisão de respeito e não de oposição. O trabalho que tem sido feito em Portugal pelo Governo de António Costa em conjunto com os camaradas de Esquerda dos outros Partidos deixa-me orgulhosa e sem arrependimentos de ter feito parte desse combate. Aprendi imenso convosco, e espero poder continuar a aprender, não perdendo a vossa amizade e confiança que muito agradeço”.

Luísa Semedo já foi Presidente da Coordenação das Coletividades Portuguesas de França (CCPF) e da AGRAFr, a associação dos diplomados portugueses em França.

Apesar desta demissão do Partido Socialista, se Paulo Pisco tiver, por alguma razão, que deixar o Parlamento Português, Luísa Semedo continuará a ser a convocada para assumir as funções de Deputada eleita pelo círculo eleitoral da Europa.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 43 Votos
5.9