Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Alunos dos cursos de português receberam certificados em Montgeron

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

Centenas de alunos dos cursos de português estiveram no domingo passado em Montgeron (91), com familiares e com os respetivos professores, para receberem os certificados de língua portuguesa. Esta é a segunda vez que a Coordenação das Coletividades Portuguesas de França (CCPF) organiza este evento e é também a segunda vez que o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas está presente na cerimónia.

Para além de José Luís Carneiro, esteve também presente o Presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos, o novo Embaixador de Portugal em França, Jorge Torres Pereira, os dois Deputados eleitos pelo círculo eleitoral da Europa, Carlos Gonçalves e Paulo Pisco, o Cônsul Geral de Portugal em Paris, António Moniz e o Cônsul Geral Adjunto João Alvim, assim como a Coordenadora do ensino de português em França, Adelaide Cristóvão.

“A vossa presença aqui é um estímulo para nós” disse Marie-Hélève Euvrard, a Presidente da CCPF, na sua intervenção. Estavam ainda presentes representantes das Embaixadas de Cabo Verde e do Brasil em França, assim como François Durovray, Presidente da Communauté d’agglomération Val d’Yerres Val de Seine (CAVYVS), que também é o Presidente do Conseil Départemental de l’Essonne, Sylvie Carillon, Maire de Montgeron e Conseillère Régionale, Sandrine Lamire, Maire Adjointe de Brunoy e Conseillère Régionale, Bruno Gallier Maire de Brunoy e Vice Presidente da CAVYVS, assim como Michael Damiati, Maire Adjoint de Montgeron e Vice Presidente da CAVYVS.

José Luís Carneiro agradeceu às autoridades locais e regionais e elogiou o trabalho de Marie-Hélène Euvrard. Destacou a relação de proximidade que o novo Embaixador de Portugal em França quer ter com a Comunidade portuguesa e salientou o trabalho da Coordenadora do ensino de português em França, Adelaide Cristóvão porque “tem prosseguido um trabalho de grande qualidade e os resultados quantitativos do esforço que tem vindo a desenvolver são hoje já uma prova muito clara de que não apenas pode continuar a contar com o apoio do Governo português, mas pode sobretudo contar com o esforço do Governo português para reforçar a Coordenação, como aliás já foi decidido pelo Senhor Ministro dos Negócios Estrangeiros, porque temos em vista colocar uma Coordenadora Adjunta para reforçar o trabalho de proximidade com as escolas, com as famílias, e com estas importantes Comunidades que fazem parte de uma grande Comunidade em França”.

Também a Maire de Montgeron saudou a Presidente da CCPF. “Ela tem muitos projetos e defende a língua portuguesa com muita força. Vejo-a todos os dois meses” disse Sylvie Carillon. “Eu podia ter descoberto Portugal através de cartões postais e ou livros turísticos, mas descobri nas ruas de Montgeron porque temos muitos originários de Portugal que me falam do vosso país, que me transmitem a sua integração em França, mas também as suas ligações fortes com Portugal”, disse a Maire de Montgeron.

Dirigindo-se aos alunos, Marie-Hélène Euvrard disse que “este certificado é a chave que vai começar a abrir muitas portas. Muitos dizem que o português é um língua de emigrantes, mas é uma língua internacional, é um passaporte para os 5 continentes. Vai abrir-vos a possibilidade de terem amigos noutros países, de fazerem estágios e trabalharem em várias empresas pelo mundo fora. Fizeram bem em escolher português”.

O novo Embaixador de Portugal só podia concordar porque chega da China onde cada vez há também mais alunos a aprenderem português. Nesta que foi a sua terceira ação pública junto da Comunidade portuguesa – depois do jantar de Gala da Câmara de comércio e do jantar da Academia do Bacalhau – “quero que cada vez mais as crianças francesas tenham curiosidade em aprender português. Claro que é importante que os filhos dos Portugueses aprendam português, mas o nosso próximo desafio é que o português interesse cada vez mais as crianças francesas para que num futuro próximo possamos ter o sonho que o português possa ser uma segunda língua ensinada em França. É neste sentido que quero trabalhar” disse na sua intervenção.

Jorge Torres Pereira destacou também a presença de representantes das Embaixadas de Cabo Verde e do Brasil e disse que “a minha preocupação também é que todos os países lusófonos possam contribuir para a promoção do português em França”.

Na sua primeira viagem a França nas funções de Presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos afirmou que “o ensino da língua portuguesa aos filhos dos Portugueses no estrangeiro é uma imposição constitucional” mas lembrou que recentemente houve “uma mudança significativa” no ensino de português em França, com a transformação dos cursos ELCO em cursos EILE. “Estamos aqui para dar reconhecimento e visibilidade aos alunos, mas também à parceria entre a França e Portugal nesta matéria”.

Por isso, o Presidente do Instituto Camões quer que o número de alunos de português em França continue a aumentar. Em declarações à comunicação social disse que “por alto há cerca de 50 mil alunos a aprenderem português em França, enquanto que em Portugal há mais de 230 mil alunos a aprenderem francês”.

José Luís Carneiro referiu um estudo que diz que até 2050 haverá cerca de 360 milhões de pessoas a falarem português no mundo, mas no fim do século deverão ser cerca de 500 milhões. “Para além de ser a terceira língua mais falada fora da União Europeia, é a primeira língua mais falada no hemisfério sul. É uma grande responsabilidade para nós”.

Visivelmente emocionado, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas referiu que “a minha presença aqui tem um significado muito simples: o Governo português acompanha de perto o esforço e a dedicação dos profissionais da rede de ensino de português, mas também vê com muita alegria a dedicação e a entrega dos pais e avós que têm gosto e orgulho que os seus descendentes aprendam a língua portuguesa. Muito obrigado pelo vosso esforço”.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 23 Votos
3.0