Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Clarisse Bernardino, 15 anos, venceu a 2a edição do Concurso “Dá a Voz à Letra”

LusoJornal / Luísa Semedo LusoJornal / Luísa Semedo LusoJornal / Luísa Semedo

A Fundação Calouste Gulbenkian em Paris foi o palco, neste sábado, da final da 2ª edição do Concurso “Dá Voz à Letra” em presença do recentemente nomeado, Embaixador de Portugal em França, Jorge Torres Pereira e de Guilherme de Oliveira Martins, Administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian.

Os principais objetivos do Concurso “Dá Voz à Letra” são, segundo a escritora e crítica literária Helena Vasconcelos, autora do projeto: “o de estimular e tornar apaixonante o exercício da leitura; o de descobrir dons e mais-valias em rapazes e raparigas muito jovens; e o de proporcionar o encontro de pessoas com interesses comuns”. Para além disso, Helena Vasconcelos destaca o facto deste concurso ser uma oportunidade para “ouvir tão belos textos” que revelam “toda a riqueza da nossa Língua, nas suas mais diversas expressões”.

O concurso contou com mais de 100 candidaturas de jovens alunos dos 15 aos 18 anos da Île-de-France (Academias de Créteil, Paris e Versailles).

Numa primeira fase cada candidato enviou um vídeo de cerca de 3 minutos de leitura em voz alta. Dessas mais de 100 candidaturas 20 foram selecionadas para uma 2ª fase e para a final foram somente selecionadas uma dezena.

Neste dia de encerramento do concurso, os 10 finalistas leram um a um o seu texto e participaram ainda numa apresentação conjunta de outros textos. A encenação esteve a cargo da professora Graça dos Santos e os alunos foram acompanhados nos momentos musicais, à guitarra, por Gonçalo Cordeiro.

Os autores escolhidos foram alguns dos nomes mais sonantes da literatura lusófona, como Fernando Pessoa, Natália Correia, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Cesário Verde ou Noémia de Sousa.

O Júri foi constituído pela apresentadora e atriz Catarina Furtado, pelo músico pianista Bruno Belthoise e pelo Adido cultural da Embaixada de Portugal em Paris João Pinharanda.

Os grandes laureados do dia foram em 3° lugar Lauryne Moura (17 anos), em 2° lugar Samuel Ferreira (15 anos) e em 1° lugar Clarisse Bernardino (15 anos) que venceu como prémio uma viagem de 4 dias a Lisboa para 2 pessoas. Os dois prémios seguintes foram um tablet com 6 eBooks.

O Diretor da Fundação Calouste Gulbenkian, Miguel Magalhães, congratulou-se com a iniciativa, defendendo que o Concurso “Dá Voz à Letra” entrava nas missões da Fundação “que procura contribuir para a promoção do conhecimento, e em particular da cultura e da arte, enquanto alicerces de tolerância e compreensão mútua”.

Este projeto é fruto de uma parceria entre várias entidades, como o Consulado Geral de Portugal em Paris, o Camões IP., a Casa de Portugal André de Gouveia, a Porto Editora, Parfums de Lisbonne, ou ainda as associações ADEPBA, ACEP e AGRAFr. Esta sinergia entre estruturas foi igualmente defendida por Miguel Magalhães: “A promoção da língua portuguesa em França só pode ser levada a bom termo numa conversa alargada entre todos os atores que trabalham nessa área, e este projeto é mais uma demonstração dessa capacidade de colaboração”.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 12 Votos
6.5