Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Nascido no Alentejo, em Évora, nos anos sessenta, Francisco Cavaco Galvão viveu grande parte da sua vida nesta região do sul de Portugal.

“O meu sotaque não engana ninguém, pois tenho na minha voz as minhas origens. Foi na cidade de Évora e arredores que eu vivi a minha infância e juventude. Ai casei e constituí família, e tenho dois filhos” disse Francisco Galvão sorrindo. “Já é desde pequenino que eu cantava nas festas familiares, lá da terrinha, com os meus pais, pois eles também cantavam. Para mim os cantos populares e tradicionais alentejanos não têm segredo, e os quais eu gosto muito de interpretar, é a minha alma, e maneira de ser alentejano, e logo que tenha ocasião o faço com gosto e alegria” confiou Francisco Galvão ao Lusojornal.

No início do ano 2000 a vida mudou e o mundo da imigração foi a solução para a vida de Francisco Galvão. Partir para o estrangeiro foi a opção, pois a sua profissão, que é trabalhar nas telecomunicações, o levaram até terras de França e na região Rhône Alpes, na localidade de Tour du Pin, onde encontra espaço profissional e domicílio.

Rapidamente faz conhecimento com a Comunidade portuguesa, numerosa nesta região, e também com o mundo associativo. Em encontros com os seus novos amigos e alguns de infância, rapidamente os seus talentos de cantor lhe são solicitados e uma outra vida de cantor começa.

“Hoje, graças a Deus, aqui na região todos me conhecem como o ‘Chico Alentejano’ ficou como sendo então o meu nome de cena de artista. Canto para festas particulares e nas associações, isto é, onde me pedirem e que as condições sejam favoráveis, eu animo festas com os meus cantares. Canto todo o registro popular, desde a música ‘pimba’ ao fado e ao canto alentejano. Os meus autores principais são Marante e Diapasão, que eu interpreto com prazer” disse disse ainda “Chico Alentejano” para o LusoJornal.

Hoje, a sua gentileza e amizade levam-no a ser convidado para a Bélgica, Suíça, Luxemburgo e em França, também quando regressa a Portugal, a sua terra, não faltam ocasiões para se exprimir cantando.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
5.9