Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Conferência sobre participação dos Portugueses na Grande Guerra no Consulado de Lyon

LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos LusoJornal / Jorge Campos

A participação do Corpo Expedicionário Português (CEP) na I Guerra Mundial foi tema para uma conferência no Consulado Geral de Portugal em Lyon, na quinta-feira passada, dia 1 de março, pelas 18h30, proferida pelo jornalista Carlos Pereira, Diretor do LusoJornal.

Na parede estava uma exposição sobre a participação do CEP na Grande Guerra, com fotografias de Arnaldo Cortez, cedidas pela Liga dos Combatentes, numa realização do Rahmi de Bordeaux, do Coletivo Aristides de Sousa Mendes e do LusoJornal.

A sala de espera daquele posto consular encheu completamente e o Cônsul Geral Luís Brito Câmara estava visivelmente contente com a audiência. Estava presente o Conselheiro das Comunidades, Manuel Cardia Lima, alguns dirigentes associativos da região, professores de português e os respetivos alunos, tanto da Secção internacional de Lyon, como da Universidade, como até do Instituto de língua e cultura portuguesa (ILCP) de Lyon. Estavam ainda presentes diplomatas de outros países que acederam ao convite de Luís Brito Câmara.

«Este é um assunto muito importante porque Portugal fez um esforço considerável para enviar o Corpo Expedicionário Português para combater em França contra a invasão estrangeira» disse o Cônsul Geral na sua intervenção. «Os 55 mil soldados portugueses mobilizados pode parecer pouco se comparado com o número de soldados franceses que participaram neste conflito, mas proporcionalmente, correspondeu a um grande esforço, tendo também em conta que Portugal atravessava um momento de grande instabilidade política».

As razões que levaram Portugal a entrar em guerra e as condições em que os soldados portugueses participaram no conflito, na Flandres francesa, foi o tema principal da conferência. A Batalha de La Lys, os monumentos e cemitérios portugueses no Norte da França foram outros dos assuntos evocados, como fotografias.

O Capelão da Comunidade portuguesa de Lyon, o Presidente da Academia do Bacalhau de Lyon, José Proença, e outros «Compadres» da mesma Academia, aguns bancários portugueses da cidade, os animadores do programa de rádio Raízes, e até o pianista Tiago Simas Freire, foram algumas das muitas pessoas que ouviram com atenção a intervenção com mais de uma hora. Jorge Campos, colaborador do LusoJornal em Lyon e radialista também estava na sala.

O público felicitou o Cônsul Geral pela organização deste evento. Este foi aliás o primeiro evento organizado por Luís Brito Câmara desde que chegou a Lyon.

A exposição vai continuar patente ao público por mais umas semanas.

 

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
6.1