Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Associação Luso-Balneolaise organizou as “Jornadas Internacionais dos Direitos das Mulheres”

DR DR DR DR DR DR DR DR DR DR DR

A associação Luso-Balneolaise organizou, dia 10 de março, as «Jornadas Internacionais dos Direitos das Mulheres» que tinham como problemática principal «Os Direitos das Mulheres no Mundo Lusófono e em França». As Jornadas de reflexão tiveram lugar na Salle de Quartier Paul-Vaillant Couturier, em Bagneux (92), durante todo o dia e foram seguidas da apresentação da leitura teatralizada do livro «Quand Vous Lirez Ces Mots» de Cristina Branco, com a cantora Lizzie e Ségolène Point, tendo sido já apresentada, no dia anterior, a peça «Florbela, la soeur du rêve» de Odette Branco.

O evento contou com o apoio da Mairie de Bagneux que foi representada através das presenças da Maire Marie Hélène Amiable e da Conselheira municipal Hélène Cillières. A abertura das Jornadas contou com as intervenções da Deputada de Hauts-de-Seine, Lauriane Rossi, do Deputado português pelo círculo da Europa, Paulo Pisco, do Adido Social do Consulado Geral de Portugal em Paris, Joaquim do Rosário e da representante da Embaixada de Cabo Verde, Sandra Lopes. Durante o dia estiveram ainda presentes representantes da diplomacia de Moçambique, Angola e de São Tomé e Príncipe.

Segundo a Presidente da Associação Luso-Balneolaise, Sónia Ribeiro, a ideia destas Jornadas surgiu em primeiro lugar de uma vontade de fazer «uma ação que reunisse a maioria dos países lusófonos» e após ter feito uma pesquisa sobre a situação da mulher nos países lusófonos, sentiu-se revoltada e pensou que tinha de «reunir todos os países para falarmos desta questão e dar a conhecer o que se passa à nossa volta e unificarmos as nossas forças, as nossas vozes, com vista a criar um conjunto de reflexões e de ações dentro da medida do possível».

Um outro dos objetivos do evento era, segundo Sónia Ribeiro, «fazer parte da programação da cidade» porque «era muito importante integrar a França, visto ser o nosso país de acolhimento e só com eles é que podemos avançar, e esperámos então um ano para poder incluir esta temática na programação da cidade à volta do dia 8 de Março».

As Jornadas prosseguiram com uma apresentação das «Novas Cartas Portuguesas» das Três Marias por Adelaide Fins, com a leitura de alguns excertos pelo público. Sónia Ribeiro, que fez o seu trabalho de Mestrado sobre este texto, publicado em 1972, achou que seria «um bom ponto de partida» para a reflexão pois esta obra «é mais do que atual visto tratar de todos os problemas da sociedade tais como a violência, a emigração, a fome, as guerras, o incesto ou a educação».

Foram ainda tratados os temas «A Mulher na Sociedade de Hoje», «Testemunhos das Vitórias Alcançadas» e «Os Desafios para o Futuro» através das intervenções de oradora(e)s lusófona(o)s e francesa(e)s tais como Eunice Brito (Associação CHEDA – Crianças de Hoje e de Amanhã de Cabo Verde), Anna Martins (Associação Cap Magellan), Crisóstomo Catotola (Consulado Geral da República de Angola em Paris), Tamele Tomás (diplomacia de Moçambique), Cristina Semblano (Conselheira municipal), Altina Ribeiro (Escritora), Luísa Semedo (Conselheira das Comunidades) e ainda de Douglas Gressieux (Associação Comptoirs de l’Inde), Inês Pereira (associação Soleil Brillant de São Tomé e Príncipe) e Nana Camara da Federação nacional GAMS que luta contra contra a mutilação sexual e o casamento forçado.

Para além dos momentos de debate com o público as Jornadas foram ainda pontuadas por momentos musicais com a artista Ora e a projeção da curta-metragem «Ouvre ta Gueule» de Aelita Jacob e Daniel Alfarela, que nos seus discursos de apresentação salientaram a atualidade deste filme realizado ainda antes do movimento internacional de denúncia das violências feitas às mulheres, nomeadamente através dos hasthags #MeToo e #BalanceTonPorc.

O objetivo do filme é, segundo os realizadores, que as pessoas que são testemunhas de violência denunciem esses casos para poder salvar vidas.

A Presidente Sónia Ribeiro declarou ao LusoJornal estar satisfeita com o resultado pois «o balanço é muito positivo, os media franceses também se interessaram pelo evento» e já há pedidos para uma segunda edição e oferta de parcerias, nomeadamente por parte da RTL. Agora «o objetivo é continuar».

A Associação Luso-Balneolaise é uma associação sediada em Bagneux que tem como objetivos principais a promoção e a divulgação da cultura portuguesa e da lusofonia. Para além de aulas de língua portuguesa gratuitas aos sábados, das 14h00 às 17h00, a associação organiza eventos culturais e artísticos ao longo do ano.

 

Contacto: lusobalneolaise@gmail.com

https://lusobalneolaise.wordpress.com/

 

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
7.6