Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A associação ACDP de Houilles organizou o 2° Festival de folclore

LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha LusoJornal / Mário Cantarinha

No passado domingo, dia 6 de maio, a Associação Cultural e Desportiva dos Portugueses (ACDP) de Houilles (78) organizou a segunda edição do seu Festival de folclore, no Parque Charles de Gaulle, naquela cidade.

«Há muito tempo que a cidade de Houilles não cedia este espaço para atividades, mas eles viram-nos no ano passado, gostaram tanto, e este ano deram autorização para a utilização deste parque municipal» disse ao LusoJornal Adelaide Martins, a Presidente da associação.

A partir das 11h00 da manhã já havia muito público, tanto português como francês, para provar as muitas epecialidades portuguesas e para percorrer os stands dos expositores: Rosa Guedes (costura), Olívia Resende (cerâmica), Odete Domingues Ferreira (pintura), Guiomar Susano (artesanato) e Manuel do Nascimento (escritor e historiador).

Durante todo o dia sucederam-se as animações com o grupo de Bombos de Houilles, com os grupos folclóricos Portugueses Unidos de Sartrouville, Unidos de Portugal de Ozoir-la-Ferrière, Os Pastores da Serra da Estrela de Houilles, mas também com a animação musical de Kathleen & Christian.

O grupo da casa – Grupo Etnografico Os Pastores da Serra da Estrela – representa as danças e cantares da aldeia de Folgosinho, na Beira Alta.

«O fundador deste grupo foi Joaquim Veloso, que é da Guarda, e foi através dele que conhecemos o Padre Morais que nos mostrou as danças e os cantares de Folgosinho. Ficámos apaixonados por aquela região» diz ao LusoJornal Adelaide Martins. «Ele veio logo cá. Aliás, em dois anos, veio cá muitas vezes, fizemos os trajos em Folgosinho, o Padre Morais veio cá verificar como eram vestidos, ajudou-nos a encontrar tecido,… foi um grande prazer tê-lo conhecido».

«Aqui em França os grupos são todos da mesma região, essencialmente do Minho, e nós queríamos algo de diferente. Este é um grupo de uma região que não era dançada aqui» confessa Adelaide Martins. «É muito difícil os grupos manterem-se e este grupo nasceu há mais de 20 anos e ainda cá estamos, é porque as pessoas gostam».

«Desde pequena que faço parte do grupo. Os meus pais transmitiram-me a paixão pelo folclore e a nossa associação é uma autêntica família» acrescentou Anne-Sophie Martins, filha da Presidente da associação.

O sol também decidiu marcar presença neste segundo Festival de folclore da associação. «Sem o sol não teríamos tanta gente» confessa Adelaide Martins. «E no próximo ano cá estaremos novamente», prometeu.

Em 2015, em Houille moravam cerca de 32.000 habitantes, muitos dos quais são de origem portuguesa.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
7.7