Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Esta quinta-feira, dia 14 de junho, pelas 18h30, vai ser apresentada, no Consulado Geral de Portugal em Paris, a II Coletânea de Poesia Lusófona em Paris, com 107 poetas de 12 países. A apresentação da obra vai ser feita por António Manuel Ribeiro, autor do prefácio, vocalista e fundador do grupo UHF, pelo escritor Adélio Amaro e pelo editor Frankelim Amaral.

«Neste segundo volume, os amantes da poesia e o público em geral, podem ler vários autores, várias visões da vida, centenas de poemas em que a caneta toma um rumo diferente a cada letra, mas sempre no caminho da descoberta, visão do mundo, memórias, pensamentos, desabafos, loucuras, num encontro em que a voz transformada em letras emerge do coração, como um ato de partilha, generosidade, mostrando que a força da poesia pode ‘ainda’ mudar o rumo do mundo» explicam Frankelim Amaral e Pedro António, os cofundadores da Portugal Mag Editora e Coordenadores da coletânea. «A poesia continua a ser uma forma de exprimir sentimentos, de alertar para vários temas como a guerra, sofrimento, amor, saudade, amizade, esperança, sonho, família… Tudo aquilo que pode fazer sonhar e dar forças a um ser humano».

A Portugal Mag Editora voltou a convidar para colaborar na coordenação desta coletânea, o escritor e historiador português Adélio Amaro, autor de vários projetos desta área, com mais de 30 livros editados.

«A Coletânea de Poesia Lusófona em Paris era um sonho baseado numa forma singular de coabitarmos com a realidade que camuflamos, esperando que a pedra filosofal fosse a cor do nosso mundo, pelas mãos de uma criança que acabou por nascer e dar fruto a um grupo de mais de oitenta poetas naturais ou residentes de/em sete países, no seu primeiro volume, e agora, no segundo volume, a 107 poetas de doze países, pela chancela da jovem, mas ambiciosa, Portugal Mag Editora» escreve Adélio Amaro.

«A II Coletânea de Poesia Lusófona em Paris é o encontro entre diversos poetas de variados e longínquos países, onde a distância é apenas terrena. É a união da Língua que consegue galgar todas as barreiras. É o encontro de todos aqueles que falam Português, independentemente da sua ideologia política, religiosa, cultural ou social. É a Lusofonia Poética que Cecília Meireles (1901-1964) defendia como um espaço para publicação de música e de poesia de poetas da Língua Portuguesa. É o encontro do mesmo idioma, mas de cores variadas».

Para prefaciar esta obra, a Portugal Mag Editora conta com o músico, compositor, escritor, vocalista e fundador dos UHF, António Manuel Ribeiro. «A Portugal Mag Editora agradece a Adélio Amaro e António Manuel Ribeiro, por acreditarem neste projeto, dando o seu contributo» dizem os editores.

«Nunca sabemos se uma frase pode mudar o destino do mundo, mas sabemos que a melhor forma de a salvar é publicá-la, deixar que frutifique como semente de um ser humano para a colheita de todos, quando o momento chegar, quando o tempo quiser sair de sob a pedra» escreve o vocalista dos UHF no prefácio da obra. «Esta II Coletânea de Poesia Lusófona em Paris, que vai de ano a ano engordando, diz-me que de palavras nos servimos para disputar a vida e com elas assinar a existência. É o que nos fica: poesia. As palavras (107 poetas de 12 nacionalidades) unem-se neste arquipélago visionário que se serve e serve a língua lusitana».

 

Consulado Geral de Portugal em Paris

6 rue Georges Berger

75017 Paris

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 5 Votos
8.2