Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A primeira meia-final do Mundial 2018, que decorre em território russo, vai opor a Seleção francesa do lusodescendente Antoine Lopes Griezmann, à Bélgica do luso-espanhol Yannick Ferreira Carrasco.

 

Antoine Lopes Griezmann, a referência no ataque

O avançado luso-francês, que tem ainda origens germânicas, Antoine Lopes Griezmann, tem sido a referência no ataque francês com o qual já apontou três golos durante este Mundial, marcando um golo em três jogos diferentes, frente à Austrália, à Argentina e ao Uruguai. De referir que também foi eleito «Homem do Jogo» pela FIFA em dois jogos, frente à Austrália (2-1) e ao Uruguai (0-2).

Antoine Lopes Griezmann é a estrela da Seleção francesa e até nas reações pós-jogo tem sido uma referência: «Não celebrei o meu golo [ndr: frente ao Uruguai], porque quando comecei como futebolista profissional fui apoiado por um Uruguaio, que me ensinou o bom e o mau sobre o futebol, por isso, tenho um grande respeito pelo Uruguai. Por respeito, acho que foi normal não celebrar o meu golo», afirmou, antes de acrescentar: «Temos uma equipa que pode causar danos em qualquer defesa. Quando estamos focados no nosso estilo de jogo, temos mais oportunidades para marcar», concluiu.

O avançado luso-francês de 27 anos, que atua nos espanhóis do Atlético Madrid, tem a particularidade de ter o número 7 na Seleção gaulesa como Cristiano Ronaldo na Seleção portuguesa.

 

Yannick Ferreira Carrasco, uma opção dos Diabos Vermelhos

O avançado luso-espanhol, que optou pela Bélgica onde nasceu, Yannick Ferreira Carrasco, tem sido uma opção regular do Treinador espanhol Roberto Martínez.

O médio ofensivo, que também pode jogar como ponta-de-lança, foi titular frente ao Panamá, à Tunísia, e ao Japão nos oitavos-de-final, não tendo sido opção frente à Inglaterra nem frente ao Brasil, nas meias-finais.

Yannick Ferreira Carrasco, de 24 anos, é um atleta de «opções» diversas, quer seja nas Seleções quer seja nos clubes.

Nascido na Bélgica, rapidamente emigrou para França onde representou o Monaco. Depois de três boas temporadas em território francês, decidiu sair para o prestigioso Atlético de Madrid em Espanha. Após duas temporadas de grande nível, o avançado luso-espanhol começou a ser menos utilizado pelo Treinador argentino Diego Simeone. A derradeira opção de Yannick Ferreira Carrasco foi sair do clube espanhol para uma aventura na China, onde representa o Dalian Yifang, clube onde atua o internacional português José Fonte.

Aos 24 anos, foi mais uma opção para este jogador que foi seguido pela Espanha e por Portugal, mas que decidiu representar os Diabos Vermelhos.

 

Vantagem Diabos Vermelhos no historial

Os dois lusodescendentes vão lutar por um lugar na final do Campeonato do Mundo de futebol. Duas Nações que se conhecem perfeitamente visto que se defrontaram 73 vezes! A França vencendo 24, a Bélgica arrecadando 30 triunfos e havendo ainda 19 empates. Vantagem para os Diabos Vermelhos.

No entanto o último encontro oficial entre as duas equipas, no Mundial de 1986 no México, foi vencido pelos Franceses por 4-2 após prolongamento, quando o resultado era de um empate a duas bolas no fim do tempo regulamentar. De notar que, com esse triunfo, os Franceses conquistaram o terceiro lugar nesse Mundial.

No que diz respeito ao último encontro entre as duas Seleções, foi um jogo amigável que os Belgas venceram por 3-4 a 7 de junho de 2015 no Stade de France.

Recorde-se, por fim, que para chegar às meias-finais deste Mundial 2018, os Franceses venceram o Uruguai, carrasco de Portugal, por 2-0, enquanto os Belgas derrotaram o Brasil por 2-1.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 6 Votos
7.7