Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Um dos mais ilustres artistas da música brasileira das últimas décadas, João Bosco, estará em concerto dia 25 de julho, às 20h30, no New Morning, em Paris.

João Bosco, um dos protegidos de Tom Jobim, compositor, arranjador, músico e cantor, comemora em 2018 os seus 45 anos de carreira. O seu estilo musical é o resultado de uma sábia mistura entre o Samba, a Bossa-Nova, o Jazz e a Pop, guardando um estilo acústico e o talento de improvisação típico dos jazzistas. “Quem sabe de mim é o meu violão”, declara João Bosco num autorretrato publicado no seu site internet.

Em 1970 conheceu aquele que viria a ser o seu mais fiel companheiro na criação musical, Aldir Blanc. Em entrevista ao Le Monde, declara que Aldir “trabalhava com as palavras como um percussionista” e que ele, João Bosco, gostava das sonoridades. Juntos compuseram mais de cem canções, algumas das quais acabaram por se tornar em standards da música brasileira como “O Mestre Sala dos Mares”, “O Bêbedo e a Equilibrista”, “O Bala com Bala” e o bolero “Dois para lá, dois pra cá”, canções tornadas célebres através da voz de Elis Regina.

Para Bosco, Elis Regina era a melhor intérprete das suas canções. “Elis foi tudo para mim. Uma aula de obstinação, intuição e um talento imensurável. Tinha uma antena que a transformava na mulher que sabia demais. A gravação de O Bêbado e a Equilibrista é de arrepiar. Elis e suas interpretações definitivas. Sempre estarei na primeira fila batendo palmas para ela”.

O João Bosco Quarteto, a formação que se vai apresentar no New Morning, é constituído, para além de Bosco no canto e na guitarra, de Ricardo Silveira na guitarra, João Baptista no baixo e Kiko Freitas na bateria.

João Bosco já é um habitué do New Morning, pois já aí tinha tocado em 2003, 2004, 2009, 2010, 2011 e 2013.

Este concerto está inserido na 35ª edição do Festival “All Stars” desta sala mítica, a decorrer entre os dias 25 de junho e 3 de agosto e conta com nomes sonantes como Roy Hargrove, Avishai Cohen, John Scofield & John Medeski, Joshua Redman & Billy Hart ou Patricia Barber.

O New Morning é uma das salas de Jazz de maior renome internacional, inaugurada a 16 de abril de 1981, já viu passar pelo seu palco nomes como Dizzi Gillespie, Art Blakey, Miles Davis, Chet Baker, Gil Scott Heron ou Prince.

 

New Morning

7 & 9 rue des Petites Ecuries

75010 Paris

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.7