Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Danilson da Cruz, médio de 32 anos, representa este ano o Nancy, clube da segunda divisão francesa. No entanto este atleta é bem conhecido na região parisiense porque jogou no Créteil/Lusitanos e no Red Star.

Na temporada passada, o franco-caboverdiano subiu à primeira divisão com o Reims. No entanto preferiu virar-se para um outro projeto e ficar na Ligue 2, juntando-se ao Nancy.

O LusoJornal falou com Danilson da Cruz (com a camisola vermelha na foto), começando por abordar a transferência para o clube da Alsace.

 

Quais foram as razões que o levaram a trocar o Reims pelo Nancy?

Eu queria sair para um clube estrangeiro. Esse era o meu desejo porque acho que tinha visto tudo o que tinha para ver na segunda divisão francesa. A minha ambição não passava por jogar na Ligue 1 com o Reims e o clube sabia disso. Houve entendimento e podia sair sem problemas. Até ao 11 de julho queria encontrar um novo desafio, foi nesse momento que as chamadas do Treinador do Nancy foram numerosas. Fui seduzido pelo projeto e decidi aceitar, sobretudo que o meu projeto para sair para o estrangeiro não avançou. Os clubes estrangeiros estavam com as transferências um pouco paradas por causa do Mundial. Mas estou muito feliz com a minha decisão porque adoro este tipo de desafios. O Nancy é um clube que merece estar na primeira divisão e espero que durante estes dois anos vamos conseguir alcançar esse objetivo.

 

Foi complicado integrar esta equipa?

A adaptação foi fácil. O grupo de jogadores que compõe a equipa é muito bom. Já tive a braçadeira de Capitão porque o Treinador pediu-me, mas com ou sem braçadeira, vou ser sempre igual dentro das quatro linhas. Admito, no entanto, que mostra a confiança que o Técnico deposita em mim. O que eu quero sobretudo é que os resultados apareçam. Já começa a ser complicado e urgente.

 

Danilson, sente que vai ser uma temporada complicada?

Não podemos pensar que a temporada vai correr mal ou vai ser complicado. Temos é de pensar no próximo jogo é tentar mudar o rumo dos acontecimentos, vencendo jogos.

 

Passou pelo Créteil/Lusitanos, qual foi a sua relação quando soube que o clube desceu do National para o National 2?

No fim da temporada passada estava eufórico com a subida do Reims à primeira divisão e a subida do Red Star à segunda divisão. Mas tenho de admitir que fiquei triste com a descida do Créteil/Lusitanos porque Créteil é a minha cidade, aliás ainda tenho um apartamento lá e a minha família, bem como os meus amigos moram lá. Mas isto é o futebol e espero que vai subir rapidamente de divisão porque no mínimo, o Créteil merece o campeonato National.

 

O Nancy recebe o Le Havre nesta sexta-feira, dia 14 de setembro, pelas 20h00, num jogo a contar para a sétima jornada da segunda divisão francesa. Recorde-se que em seis jogos o Nancy não venceu nenhum, e não marcou nenhum golo, ocupando o último lugar na tabela classificativa sem um único ponto.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.6