Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Marcos Ceará, o antigo jogador do Paris Saint Germain, regressou agora a Paris, já com o estatuto de empresário de jogadores, em representação da empresa brasileira TSG e espera desenvolver esta atividade a partir da capital francesa.

Marcos Ceará terminou a sua carreira futebolística num clube da segunda divisão brasileira em dezembro do ano passado e integrou a empresa que sempre agenciou a sua própria carreira. Em Paris, trabalha com o Português Manuel dos Santos, da empresa Novodos.

Em França não é necessário apresentar Marcos Ceará. Fez formação futebolística no Santos até aos 20 anos e passou por algumas equipas secundárias do Brasil até chegar ao Internacional de Porto Alegre em 2006 onde esteve em destaque, sendo Campeão da Libertadores. Aliás foi pelo Internacional que foi Campeão Mundial de Clubes, num jogo contra o Barcelona, em 2006, no Japão, que guarda na memória. “Tive uma participação muito importante ao marcar o Ronaldinho Gaúcho, na época o melhor jogador do mundo, ganhámos 1-0” lembra ao LusoJornal.

Foi naquele jogo histórico que despertou o interesse do Paris Saint Germain, onde chegou em agosto de 2007 e onde ficou até 2012. “Foram 5 temporadas no PSG, e fui muito feliz porque durante essas 5 épocas consegui mostrar o meu potencial aqui na Europa, num grande clube europeu”. Do PSG, onde chegou a ser Capitão, seguiu para o Cruzeiro onde foi duas vezes Campeão do Brasil e em dezembro, pendurou as chuteiras definitivamente.

“Gostei muito de viver em França. Adaptei-me bastante à França, infelizmente os resultados dentro de campo não foram os melhores, porque na época o PSG não fazia grandes investimentos na equipa. Mas conseguimos ainda duas Taças, uma Taça de França e uma Taça da Liga, e por duas vezes perdemos na final dessas Taças, uma para o Lyon e outra para o Lille” conta ao LusoJornal. “Gostei muito da cidade, as pessoas acolheram-me muito bem, a mim e à minha família, fizemos vários amigos, portugueses, brasileiros, franceses,…”

Um dos amigos foi precisamente Manuel dos Santos, na altura o tradutor do PSG para acompanhar Marcos Ceará. Mas havia um jogador português na equipa: Pedro Pauleta. “Eu cheguei sem saber falar francês. Nas reuniões com o treinador, e em muitas ocasiões, ele fazia as traduções para mim, porém eu não queria importuná-lo muito. Ele era uma grande estrela do team, eu fiz um grande esforço para captar logo o máximo de francês. Mas foi um grande prazer para mim poder jogar com o Pauleta no PSG” diz Marcos Ceará.

Manuel dos Santos lembra-se dessa época. “Quando o Marcos chegou, eu fui escolhido como tradutor do PSG. Criou-se uma amizade entre nós, ficámos sempre em contacto durante os 5 anos em que ele esteve lá a jogar. E depois mantivemos contacto também” explicou ao LusoJornal. “Era um lateral direito titular, marcou alguns golos, foi Capitão e estava sempre a motivar a equipa. É um jogador com grande espírito profissional”.

“Quando não era eu a traduzir, era o Pauleta que fazia a tradução. Aliás os outros jogadores diziam a brincar ao Pauleta que podia ganhar bem a vida como tradutor” conta Manuel dos Santos a sorrir.

Jovem reformado do futebol, Marcos Ceará decidiu integrar a TSG e vir para Paris com uma dupla missão: tentar colocação em clubes franceses para jogadores brasileiros, e captar atletas franceses para agenciamento.

O regresso a Paris não é fácil. “É uma nova etapa da minha vida. Quando se está como atleta, o acolhimento é diferente, tem todo o apoio do clube, das instalações, tive um intérprete ao meu dispor. Hoje estou em autonomia porque trabalho para a minha própria empresa que está situada no Brasil. Então agora tudo é por minha conta, tenho de procurar apartamento, tenho de ir procurar tudo, para me estabelecer em França. Tenho de me adaptar o quanto antes para fazer com que esta nova etapa seja bem sucedida, como foi a etapa de jogador”.

Manuel dos Santos é um dos contactos prioritários do jogador. “Sempre estivemos em contacto. Durante um período ele queria voltar a jogar em França, encontrámos algumas situações, mas em termos financeiros não deu certo, mas sempre ficámos em contacto” explica Manuel dos Santos da Novodos. “O Marcos é uma pessoa honesta, de confiança, e como ele necessita de uma empresa com licença para trabalhar em França, contactou-nos. Há esta oportunidade de trabalharmos juntos. Sabemos bem que há bons jogadores no Brasil, mas depois é necessário ter os contactos aqui para os colocar cá”.

Marcos Ceará inscreveu o filho na equipa U12 do PSG. “Espero, num período curto, fazer alguma transação, trazer algum jogador Brasileiro para a França ou até aqui em França, conseguir captar algum jogador e acompanhá-lo nos negócios com clubes franceses. Mesmo em Portugal, quem sabe? Nós captámos um jogador, o Mateus Leal, que está no Benfica e passámos a gerir a carreira dele. Esperamos agora evoluir nos contactos com clubes portugueses”.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.6