Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

No passado dia 1 de outubro foi inaugurado o novo Escritório consular português em Nantes, na presença de vários políticos, diplomatas e dirigentes associativos.

Até 2012 havia em Nantes um Vice-Consulado com Chefe de posto e funcionários. Nessa data foi encerrado por ordem do Governo da altura. Desde então, houve Presenças consulares semanais que passaram a diárias há uns anos atrás.

Depois de ter passado por vários locais com as Permanências consulares, o Escritório consular está agora implantado no 15 quai Ernest Renaud, em frente ao rio Loire. O local é composto de uma sala de espera e dois escritórios, um para cada funcionário. São espaços bastante grandes, maiores do que os do antigo local, onde os dois empregados recebiam os utentes num só mesmo escritório.

A existência deste Escritório consular implica a “perenidade dos serviços consulares na área de Nantes” e também a possibilidade de abrir uma Mesa de voto já que o recenseamento automático vai facilitar bastante. Os Portugueses poderão então cumprir o seu dever cívico sem terem necessidade de se recensearem primeiro já que o recenseamento passa a ser automático.

Para esta inauguração fora do vulgar deslocaram-se de Paris o Diretor Geral dos Assuntos Consulares, Embaixador Júlio Vilela, o Diplomata número dois da Embaixada de Portugal em Paris Carlos Pires e o Cônsul Geral de Portugal em Paris António Moniz. Vindo de Portugal veio, o Deputado socialista eleito pelo círculo eleitoral da Europa, Paulo Pisco e o Secretário de Estado das Comunidades José Luís Carneiro cujo discurso foi muito dirigido a André Sobczak, Maire-Adjoint de Nantes – em representação da Maire Johanna Rolland – e Vice-Presidente de Nantes Métropole.

Tanto António Moniz como José Luís Carneiro saudaram o trabalho da Mairie que “disponibilizou estes novos locais situados perto dos transportes públicos e fáceis de acesso de carro”. Ambos visitaram Nantes várias vezes há meses atrás e sabiam perfeitamente que os 50.000 Portugueses que vivem nessa zona de Nantes e da Bretanha necessitavam de ter serviços consulares dignos e perenes.

Face à insistência do Presidente do coletivo associativo Cap Ouest, Manuel Ferreira, a Maire Johanna Rolland tinha recebido José Luís Carneiro e prometeu encontrar um local para acolher o posto consular, e cumpriu!

Agora, o Secretário de Estado quer desenvolver a colaboração com Nantes, reforçar os vínculos que a Comunidade portuguesa tem com os restantes habitantes, realçar o fato de que o dinamismo a nível associativo e a nível de empreendedorismo faz com que os Portugueses fazem parte íntegra da vida cultural e económica da região.

Durante a inauguração chegou um convidado especial que não estava previsto: Mouctar, nascido a 5 de agosto… Este foi o primeiro pedido de registo de nascimento no novo Escritório consular de Nantes.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 8 Votos
4.8