Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A Santa Casa da Misericórdia de Paris organiza, no sábado 26 de setembro, na igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Paris, uma conferência de imprensa durante a qual será apresentado o livro “Jubileu da Santa Casa da Misericórdia de Paris – 25 anos a praticar a solidariedade em prol dos mais carecidos”, da autoria de Aníbal de Almeida (ex-Provedor), em colaboração com outros membros ativos desta instituição.

O presente volume, publicado em dezembro de 2019, com a chancela das Éditions Chandeigne, “não é apenas um testemunho das iniciativas levadas a cabo em duas décadas e meia – afirma António Fernandes, o Provedor atual -, mas constitui acima de tudo um alerta para uma série de questões sociais esquecidas do debate público, com as quais se debatem um conjunto de Portugueses residentes no estrangeiro e lusodescendentes”.

A parte central deste livro é constituída por numerosos capítulos consagrados a diversos temas, tais como: “Evolução das desigualdades”, “Assistência tradicional não responde às necessidades”, “Fundação da Misericórdia de Lisboa há 520 anos”, “As Misericórdias e o poder político nos séculos XIX e XX”, “Construir um lar para idosos”, “Envelhecimento e reformas dos portugueses em França”, “Permanências sociais”, “Angariar fundos”, etc.

Além desta parte central, o leitor encontrará também um prefácio assinado pelo Padre Vítor Melícias (membro fundador da Misericórdia de Paris e Presidente emérito da Confederação Internacional das Misericórdias), uma introdução e um conjunto de anexos (documentos administrativos, estatutos, cartas oficiais, fotografias).

“Partindo do princípio – lê-se na introdução à presente publicação – que nem todos os Portugueses que vieram para França são emigrantes de sucesso e na expectativa de organizar a solidariedade junto dos compatriotas menos favorecidos da Comunidade, um grupo de pessoas de boa vontade criaram, em 1994, a Santa Casa da Misericórdia de Paris”. Ao apontar algumas das principais razões dos problemas sociais e humanos que surgem no seio da Comunidade portuguesa de França, o texto introdutório refere que “sobretudo nas últimas três décadas, gerou-se um clima de mal-estar e de incerteza no futuro, resultante das turbulências sociais decorrentes das crises recentes do capitalismo ultraliberal e descontrolado. É certo que a produção de bens e serviços progrediu de forma impressionante, mas o sistema deixou de funcionar em benefício da maioria da população”.

Instituição caritativa, a Misericórdia de Lisboa foi fundada em 1498 pela rainha D. Leonor e ficou instalada na Sé Catedral, antes de ser transferida para a igreja da Conceição Velha. Depois de Lisboa, as Misericórdias espalharam-se rapidamente pelo país. Atualmente, são 398 ativas. A Misericórdia de Paris, fundada em 1994, conta com um número de 350 membros inscritos, juridicamente tem o estatuto de associação, segundo a lei de 1905 que, em França, estabelece a separação da Igreja e do Estado, definido como laico.

 

Sábado 26 de setembro, 14h00

Santuário de Nossa Senhora de Fátima

48 bis boulevard Sérurier

75019 Paris

 

Associações
X