Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Morreu Paulo Silva da Rocha, dirigente associativo em Saint Priest

Donativos LusoJornal

Faleceu no passado dia 27 de janeiro, com 68 anos de idade, Paulo Silva da Rocha, dirigente da Associação desportiva cultural dos jovens portugueses (ADCJPSP) de Saint Priest (69), nos arredores de Lyon. A morte foi anunciada pela família após anos de luta contra a doença. Deixa um grande vazio, tanto na família como na coletividade onde era admirado e apreciado, sempre com grande vontade de ajudar o próximo.

Paulo Rocha consagrou muitos anos à associação, nela vivendo a sua paixão pelo futebol. Era natural de Cervães, uma aldeia no concelho de Vila Verde. Emigrou muito cedo, ainda na sua juventude, para terras de França. Nos anos 80, quando chegou a Saint Priest, propôs os seus serviços à associação portuguesa que estava então a nascer. Passou a ser treinador, responsável, organizador desportivo e mais tarde diretor desportivo.

A sua simpatia e o seu caráter conciliador e amigável fez com que todos, tanto na associação como os que o conheciam em geral, o apreciavam e respeitavam ao ponto de lhe darem o sobrenome de “Sherife Rocha”.

“As camadas jovens e os jogadores de futebol da nossa associação tinham grande respeito e confiança em Paulo da Rocha, eles apreciavam e reconheciam os seus conhecimentos, o empenho e a sua disponibilidade, consagrando-se às funções que assumiu enquanto treinador” disse Jaime Barros, o Presidente da coletividade.

Ultimamente Paulo da Rocha era vice-Presidente da Direção, e era também responsável pela segurança nos encontros de futebol no seio da Federação Francesa de Futebol na região Rhône-Alpes-Auvergne. “Ele era muito ativo e assíduo, nas suas relações de trabalho como na associação e na Mairie, onde ele tinha grandes relações de amizade e respeito. Estava sempre pronto a ajudar no que fosse necessário. Apreciávamos a sua alegria de viver e a sua boa disposição. Era uma pessoa a quem quase tudo se podia pedir” concluiu Jaime Barros em declarações ao LusoJornal.

No seu discurso de homenagem, no decorrer da cerimónia fúnebre celebrada na Igreja paroquial de St Priest, o Maire de Saint Priest, Gilles Gascon, evocou as suas “grandes qualidades de diálogo, exemplaridade e amizade” e finalizou dizendo que “foi uma grande perda para todos”.

Paulo Silva da Rocha foi sepultado no novo Cemitério de Manissieux, em Saint Priest, no dia 8 de fevereiro, em presença da esposa, dos filhos e demais família, assim como de muitos amigos, portugueses ou não, vindos de todos os pontos da região de Lyon.

 

Comunidade
X