Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Ensino

 

Portugal é o país convidado do salão “Partir Etudier a l”Étranger” organizado pela rebvista L’Etudiant e que decorre este fim de semana em Paris, com a presença de nove politécnicos, seis universidades e diferentes autoridades portuguesas, entre os quais a Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, e o Secretário de Estado do Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, de forma a atrair estudantes franceses.

“É um apelo a que os jovens lusodescendentes ou não, estamos perante um público francês, percebam que Portugal também pode ser uma solução para a continuação dos estudos superiores”, explicou Luciana Gouveia, Diretora executiva da associação Cap Magellan, que está a coordenar a participação portuguesa neste salão, em declarações à Lusa.

É a primeira vez que Portugal vai ter um lugar de honra no salão “Partir Etudier a l’Étranger” e também a primeira vez que é promovido um país da União Europeia. Como país de destaque, Portugal vai ter um espaço de 120 metros quadrados onde os estudantes vão poder discutir diretamente com as instituições presentes.

Na sessão de abertura, esta sexta-feira, vão estar presentes Berta Nunes, Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas e João Sobrinho Teixeira, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, assim como outras autoridades portuguesas em França. A Cap Magellan anuncia a presença de Jorge Torres Pereira, Embaixador de Portugal em França, Carlos Oliveira, Cônsul-Geral de Portugal em Paris, Adelaide Cristóvão, Coordenadora do Ensino Português em França. Também vão estar nesta feira representantes da Agência Nacional Erasmus+ e do Gabinete de Acesso ao Ensino Superior na Direção Geral do Ensino Superior.

A Cap Magellan anuncia também a passagem do Ministro francês da Educação, Jean-Michel Blanquer, pelo espaço português, logo depois da inauguração oficial do Salão.

A Cap Magellan, associação que reúne os jovens lusodescendentes em França, trabalha há dois anos em parceria com a Direção-Geral do Ensino Superior para promover a quota de 7% de vagas do acesso ao ensino superior reservadas para filhos de portugueses no estrangeiro, tendo um funcionário destacado para dar assistência na parte burocrática das candidaturas.

No entanto, segundo Luciana Gouveia, a esmagadora maioria destas vagas ainda fica por preencher. Para aumentar a visibilidade desta possibilidade, a Cap Magellan tem divulgado junto de escolas e liceus a quota. “É um trabalho contínuo”, declarou.

Com o objetivo da divulgação ir par além dos lusodescendentes e chegar a todos os estudantes franceses que estão a terminar o ensino secundário, vão estar em Paris 09 politécnicos (Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Leiria, Portalegre, Porto, Setúbal, Viana do Castelo e Viseu) e seis universidades (Aveiro, Évora, Minho, Porto, Trás-os-Montes e Alto Douro e ainda a Universidade Católica).

O salão, que dura até domingo, vai ainda ter atuações de três tunas: Tuna Feminina do ISCAP, Tuna Académica de Biomédicas e Tuna da Universidade Católica do Porto.

Também marcará presença no salão o Banque BCP, banco “parceiro exclusivo” da presença portuguesa no salão.

Estão representados nesta feira outros países como o Canadá, Estados Unidos, Espanha ou Itália.

 

Donativos LusoJornal
X