Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Bourget: Portugal presente no Paris Air Show

LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga LusoJornal / António Borga

O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, esteve no `stand´ de Portugal no Paris Air Show, uma das maiores feiras de aeronáutica do mundo, realizada de dois em dois anos nos arredores da capital francesa.

Entre reuniões com diversas empresas do setor da defesa e da aeronáutica, o ministro da Defesa enalteceu o papel de Portugal na construção do KC-390, que acontece, em parte, na Ogma – Indústria Aeronáutica de Portugal, S.A, com peças fabricadas em Portugal e tecnologia desenhada por engenheiros portugueses.

A primeira demonstração comercial do avião de transporte tático e estratégico fabricado pela Embraer, KC-390, foi realizada no Paris Air Show.

O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, afirmou que a decisão sobre a compra das aeronaves KC-390 deverá ser anunciada “durante as próximas semanas”.

“Estamos próximos de uma decisão sobre essa matéria. Foi publicada a Lei de Programação Militar, de maneira que eu espero durante as próximas semanas… estar em condições de anunciar algo sobre isso”, declarou João Gomes Cravinho.

Em dia de publicação da Lei de Programação Militar, o ministro não quis alongar-se sobre outros possíveis negócios para as Forças Armadas, afirmando que a sua presença visou “reforçar a Força Aérea” e o “tecido económico empresarial” português, mostrando-se ainda confiante no desenvolvimento do setor da aeronáutica em Portugal.

“Isto é um setor jovem em Portugal e muito dinâmico, que foi criado na última década e é um setor com futuro. É um setor em expansão, muito promissor e são os cursos de engenharia aeronáutica com maior média de entrada nas universidade portuguesas e há boa razão para isso. Os nossos jovens engenheiros saem das universidades e têm logo empresas à espera para os recrutar”, disse o governante.

Num curto discurso no `stand´ português, e ao lado do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, o ministro da Defesa Nacional sublinhou que o setor da aeronáutica já ultrapassou o setor do vinho a nível de exportações.

O ministro da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, também marcou presença no certame, que junta em Paris mais de 2.000 expositores de 48 países e onde passam mais de 300 mil visitantes, com demonstrações de novos modelos de aviões e helicópteros, comerciais e militares.

A Lei de Programação Militar, que define os investimentos para as Forças Armadas até 2030, prevê a substituição das aeronaves C-130 por novos aviões de transporte tático, com uma dotação de 827 milhões de euros.

 

LusoJornal Artigos
Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 3 Votos
6.0
X