Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Comunidade

 

Um avião Airbus A310, propriedade da empresa francesa Novespace, efetuou esta semana um voo de duas horas, a partir da Base Aérea de Beja, com 30 jovens a bordo, executando manobras de ascensão e queda-livre (parábolas) que permitiram simular a ausência de gravidade no seu interior por ciclos de breves instantes, nos quais os passageiros se sentiram tão leves que puderam, sem conseguirem controlar, dar cambalhotas no ar.

O voo foi promovido pela agência espacial portuguesa ‘Portugal Space’, no âmbito da iniciativa “Zero-G Portugal – Astronauta por um Dia”, que visa estimular o interesse dos mais novos pelo espaço.

Os voos parabólicos são praticamente o único meio na Terra capaz de reproduzir o efeito da ausência de gravidade ou microgravidade, que só existe no espaço e apenas é sentida pelos astronautas.

Os jovens, estudantes entre os 14 e os 18 anos, foram selecionados após provas eliminatórias e após a aterragem receberam um diploma de participação.

A bordo do avião seguiu o astronauta alemão Matthias Maurer, que em 06 de maio regressou de uma missão de seis meses, a primeira, da estação espacial internacional, à qual chamou “beijo cósmico”, por “amor ao espaço”.

Ao todo, o avião da empresa Novespace executou 16 parábolas (mais uma do que o previsto a pedido dos jovens), que perfizeram cumulativamente cerca de sete minutos de efeito de microgravidade, incluindo 20 segundos de gravidade marciana e 40 segundos gravidade lunar.

 

Donativos LusoJornal
X