Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

A realizadora francesa Ariel de Bigault estreia, na sexta-feira, no festival IndieLisboa, o documentário “Fantasmas do império”, reflexão sobre “o imaginário colonial no cinema português”.

O filme coloca em diálogo dois atores africanos – o angolano Orlando Sérgio e o são-tomense Ângelo Torres – com realizadores e investigadores sobre o património cinematográfico português ligado ao colonialismo

“Aos documentários e ficções que sustentam o enredo imperialista, contrapõem-se filmes e olhares contemporâneos”, lê-se na sinopse do filme.

“Fantasmas do império” conta ainda com a participação, entre outros, dos realizadores Fernando Matos Silva, Margarida Cardoso e Ivo M. Ferreira, do Diretor da Cinemateca Portuguesa, José Manuel Costa, e da investigadora Maria do Carmo Piçarra.

No filme, suportado por excertos de um século de cinema português, são abordados “os mitos das descobertas, a ficção imperial, a fábrica da epopeia colonial, as máscaras da violenta dominação”, e é questionada a ideia de colonizador e colonizado.

O documentário tem estreia na sexta-feira, na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, com a presença da realizadora.

Ariel de Bigault nasceu em França, mas o percurso de trabalho passa, há mais de três décadas, pelo universo da lusofonia, entre Portugal, Brasil e África.

É autora da série documental “Eclats noirs du samba” (1987), na qual faz uma pesquisa sobre a criação artística afro-brasileira, com a participação de nomes como Gilberto Gil, Zezé Motta e Paulo Moura.

Assinou ainda antologias de música de Cabo Verde e de Angola e fez os documentários “Afro Lisboa” (1996) e “Margem Atlântica” (2006).

O 17º festival de cinema IndieLisboa começou na terça-feira e prolonga-se até 05 de setembro, em várias salas de Lisboa, com lotação limitada e à luz das regras de higiene e distanciamento social, por causa da Covid-19.

 

Dia 28 de agosto, 19h00

Fantasmas do Império

Festival Indie Lisboa

Cinemateca Portuguesa

Sala Félix Ribeiro

 

Documentário / 2020 / 112 min

Um filme de Ariel de Bigault

Produzido por Alexandre Oliveira (Ar de Filmes, Portugal) e Alexandre Perrier (Kidam, França)

 

Com:

João Botelho

Margarida Cardoso

Ivo M. Ferreira

Fernando Matos Silva

Hugo Vieira da Silva

Orlando Sérgio

Ângelo Torres

Manuel Faria de Almeida

Joaquim Lopes Barbosa

José Manuel Costa

Maria do Carmo Piçarra

 

Diretor de fotografia: Leonardo Simões

Assistente de realização: Nuno Milagre

Engenheiro de som: António P. Figueiredo

Diretor de produção: Pedro Bento

Montagem: Micael Espinha

Montagem som: Clément Chauvelle e Paulo Abelho

Misturas: Clément Chauvelle e Jérôme Isnard

Correção de cor: Reda Berbar

Diretor de pós-produção: François Nabos

Música original: Jon Luz

 

Com o apoio de: Cinemateca Portuguesa, Museu do Cinema, Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, ICA, RTP, Lisbon Film Commission e de CNC, Procirep Angoa, Cine +

 

Cultura
X