Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Um pouco de história…

Não se pense que vou aqui desvendar grandes segredos, que os da Francesinha estão guardados a sete chaves num cofre. Mas esta é a história de uma sanduíche que nasceu num restaurante no centro da cidade, rapidamente ganhou fama, espalhou-se e hoje é um dos dois símbolos gastronómicos do Porto.

Quis o acaso que António Passos fosse um dia a França e lá conhecesse um barman. É graças a este encontro fortuito que a Regaleira entrou para a história da cidade. “Em França, António Passos descobriu um dia um barman num hotel, achou-o extraordinário e convidou-o para vir trabalhar com ele”. O barman era Daniel David da Silva, um homem que tinha saído de Terras de Bouro à procura de melhor vida.

Daniel começa a trabalhar na Regaleira e, inspirado pela francesa “Croque Monsieur” resolve criar uma sanduíche nova, aproveitando as carnes e os fumados portugueses e inventando um molho de sabor forte e picante. Estávamos em 1952.

“A história do nome também é muito interessante. O senhor Daniel David da Silva era um mulherengo e diz-se mesmo que gastava as gorjetas que recebia em França para ir para os autocarros ver as mulheres, que eram mais elegantes e bem vestidas do que as portuguesas da altura e ele ficava doido com aquilo. Por isso, quando fez o molho forte chamou-lhe Francesinha porque as francesas são picantes”.

 

Ingredientes para duas Francesinhas

– 6 fatias de pão de forma

– 8 fatias de queijo

– 2 bifes de vaca pequenos

– 2 salsichas frescas

– 2 linguiças

– 2 fatias de fiambre

– Sal e pimenta q.b.

Para o molho

– 1 cebola

– 4 dl de cerveja

– 3 colheres (sopa) de polpa de tomate

– 0,5 dl de brandy

– 0,5 dl de Vinho do Porto

– 1 colher (sopa) de margarina

– 1 colher (sopa) de farinha maisena

– 1 cubo de caldo de carne

– 1 folha de louro

– Leite q.b.

– Sal e picante q.b.

 

Preparação:

Para começar esta receita, prepare o molho: descasque a cebola, pique-a grosseiramente, deite para um tacho, junte a margarina e o louro, leve ao lume e deixe cozinhar até ficar douradinha. Adicione a polpa de tomate, o caldo de carne e a cerveja e deixe ferver. Dissolva a farinha Maizena num pouco de leite e junte ao tacho, em fio e mexendo sempre. Retifique o sal, tempere com picante, mexa, junte o brandy e o Vinho do Porto e deixe ferver. Passe pelo passador de rede e leve de novo ao lume brando para aquecer.

Corte as salsichas ao meio, depois novamente ao meio no sentido do comprimento e tempere-as com sal e pimenta. Corte também as linguiças da mesma maneira. Tempere igualmente os bifes com sal e pimenta. Grelhe os bifes, as salsichas e a linguiça a gosto.

Torre ligeiramente as fatias de pão e distribua duas fatias por dois pratos. Cubra com uma fatia de fiambre, junte depois o bife e coloque outra fatia de pão. Adicione então a salsicha e a linguiça, cubra com uma fatia de queijo e o restante pão. Junte então três fatias de queijo por cima de cada conjunto, leve ao forno a 200°C até derreter, retire e sirva quentes regadas com o molho.

 

Nota: Esta não é a receita original mas uma aproximação, pois o segredo do molho original está guardada a sete chaves. Quanto ao ovo estrelado por cima, é mesmo opção.

Vinho: Com a Francesinha, em geral, bebe-se cerveja estupidamente gelada.

Atenção: Nesta receita foi utilizado o pão de forma, mas se puder, utilize o “bijou de cinco quinas”, pois não empapa todo como o de forma e mantém o seu sabor.

 

MCL

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
5.2
X