Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

7ª Noite de Fado encantou Lyon

Raízes Raízes Raízes Raízes Raízes Raízes Raízes Raízes Raízes

O Instituto de Língua e Cultura Portuguesa (ILCP) realizou no sábado passado, dia 16 de fevereiro, a sua 7ª Noite de Fado no Lycée St Marc, em Lyon, onde estiveram presentes cerca de 250 pessoas, na magnífica sala Sainte Hélène. Um evento organizado por aquele Instituto, pela Miditar produtora de Michel Costa e pela Universidade Jean Monnet de Saint Etienne.

Pela Direção do ILCP subiu ao palco o Presidente Tristan Fréjaville para agradecer a todas as pessoas que tornaram possível a realização do evento. Agradeceu ao público presente e aos parceiros, não deixando de parabenizar a fundadora do ILCP Rosa Maria Queirós pela iniciativa que teve há 8 anos atrás, com a criação desta Noite de Fado em Lyon.

Luís Câmara Brito, Cônsul Geral de Portugal em Lyon foi convidado também a subir ao palco e no seu discurso, agradeceu o convite e felicitou a organização pelo evento. Declarou o seu amor pelo Fado, recordou a importância desta música para a cultura portuguesa e para o seu património. Luís Câmara Brito sente-se em casa, junto da Comunidade Portuguesa em Lyon e dos amigos franceses. Convidou os presentes a visitarem Portugal por se tratar também de um país acolhedor, onde já estão a viver muitos Franceses, pois as relações de amizade entre a França e Portugal são muito antigas.

O público descobriu e entregou-se aos quatro talentos vindos do Algarve: Ricardo Martins na guitarra portuguesa e Bruno Davide na viola clássica, os dois guitarristas de excelência, e as vozes poderosas de João Leote e Marta Alves que seduziram o público até ao final.

Marta Alves, nasceu em Lagos (Algarve) e quando tinha apenas 12 anos de idade cantou pela primeira vez em público, no Festival infantil Alvor FM, tendo conquistado o primeiro lugar interpretando «E Depois do Adeus», de Paulo de Carvalho. Venceu vários concursos de fado e participou na 2ª edição do Grande Prémio do Fado, em 2015, na RTP1. Cantou nas mais variadas casas de fado da capital. Participa regularmente em espetáculos de fado. Neste momento está a tirar a licenciatura em canto, na Escola Superior de Música de Lisboa.

Nascido em Portimão, João Leote começou a cantar fado aos 13 anos. A grande revelação foi no Teatro do Boa Esperança Portimonense, integrando o elenco da Revista à Portuguesa. O público rendeu-se à sua voz, postura e desempenho. Mais tarde participou e ganhou vários prémios de fado na região sul de Portugal. O seu talento como fadista é reconhecido em todo o país. Canta frequentemente em Lisboa, nas “casas de fado”, mas também em vários eventos dedicados a este estilo musical, como o Festival Caixa Alfama, em que cantou por dois anos consecutivos.

No intervalo deste espetáculo o público foi convidado a provar alguns produtos de qualidade de origem portuguesa. O ‘catering’ foi fornecido por um dos parceiros do evento, Antoine Pinto, da empresa “Millésimes et Gourmandises”.

Depois de pouco mais de uma hora e meia de espetáculo, os artistas concluíram a noite com vários fados em dueto. O público aplaudiu calorosamente no final do espetáculo. Todos os presentes cantaram com os artistas os grandes clássicos de Alfredo Marceneiro e Amália Rodrigues. E no ar ficou um “até já”… até à próxima Noite de fado promovida pelo ILCP.

_________________________

Também em St Etienne

A Associação Cultural Portuguesa de Saint Etienne, presidida por Manuel Mendes, organizou no dia anterior, dia 14 de fevereiro, um espetáculo de Fado com os mesmos fadistas, onde esteve presente a representante do Maire de Saint Etienne, Alexandra Custódio, que fez questão de sublinhar “a importância do apoio e amizade das autoridades francesas às Comunidades portuguesas”.

 

Cultura
X