Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O Brasileiro Ed Motta dará um concerto em Paris, na sala New Morning, esta quinta-feira, dia 24 de outubro, às 21h00.

Nascido em 1971, no Rio de Janeiro, Eduardo Motta conhecido como Ed Motta é para além de cantor, compositor, multi-instrumentista, arranjador e produtor. Começou ainda era adolescente, como vocalista na banda Kabbalah, que fazia versões dos clássicos do rock. É sobrinho do célebre cantor e compositor Tim Maia, e é influenciado pelos estilos funk e soul norte-americano. Trabalhou como DJ nas discotecas do Rio de Janeiro e decidiu abandonar os estudos para se consagrar à música. Aos 16 anos, tornou-se conhecido com a sua banda da altura, Conexão Japeri.

Afastou-se depois do grupo para seguir uma carreira a solo e lançou “Um Contrato com Deus” em 1990, no qual toca quase todos os instrumentos e compõe as músicas, além de fazer a produção do disco. Compôs a banda sonora do filme “Pequeno Dicionário Amoroso”, dirigido por Sandra Werneck, em 1997. Renovou a experiência em 2000, com a banda sonora de “A Partilha” de Daniel Filho. Voltou ao sucesso comercial com as canções “Fora da Lei” em 1997 e “Colombina” em 2000, ambas em dueto com a cantora Rita Lee, lançadas nos álbuns “Manual Prático para Festas”, “Bailes e Afins”, volumes 1 e 2, respetivamente. Lançou, em 2002, “Dwitza”, um álbum com temas instrumentais. Regressou à pop com “Poptical” em 2003, que comporta a canção “Tem Espaço na Van” em dueto com Seu Jorge. Em 2005, retoma as suas experiências musicais no álbum “Aystelum”. Em 2007, compõe a banda sonora de “7 – O Musical”, com textos de Charles Möeller e letras de Cláudio Botelho, e lança “Chapter 9”, no qual toca todos os instrumentos. Com todas as músicas cantadas em inglês, o disco é disponibilizado de forma gratuita na internet. Em 2009 lança “Piquenique” com a maioria das letras escritas pela sua companheira Edna Lopes. Ed Motta também é conhecido por ser um investigador musical e um dos maiores colecionadores do mundo de discos vinil.

No New Morning virá apresentar o seu último álbum “Criterion of the Senses”, um album em inglês. Questionando pelo Folhapress sobre o facto das letras serem em inglês o artista responde: “Preciso ser honesto com aquilo que eu escuto e com o que meu toca-discos me ensinou nesses anos todos. Sempre achei que, idiomaticamente, minha música não era para ser em português”.

O álbum foi composto e produzido no Rio de Janeiro nos estúdios Marini, na sua casa e nos estúdios Dwitza, e gravado com músicos como os pianistas Glauton Campello e Michel Limma, o baterista Sérgio Melo ou a cantora Alma Thomas.

O New Morning é uma das salas de Jazz de maior renome internacional, inaugurada a 16 de abril de 1981, já viu passar pelo seu palco nomes como Dizzi Gillespie, Art Blakey, Miles Davis, Chet Baker, Gil Scott Heron ou Prince.

 

New Morning

7/9 rue des Petites Ecuries

75010 Paris

Métro Bonne Nouvelle ou Château d’eau

www.newmorning.com

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
9.8
X