Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Christine da Costa e LusoJornal homenagearam o soldado português sepultado em Bauvin

LusoJornal | LSG LusoJornal | LSG LusoJornal | LSG LusoJornal | LSG LusoJornal | LSG
Donativos LusoJornal

 

No dia de Todos os Santos lembramo-nos dos nossos familiares e amigos que partiram, que se repousam em lugares de silêncio, em cemitérios. Foi a altura em que o LusoJornal e Christine da Costa escolheram para lembrarem todos quantos participaram na I Guerra mundial, independentemente do campo em que combateram, e que nela perderam as suas vidas.

Mais de 2.000 soldados do CEP faleceram em terras de Flandres, mas não só.

Depois da realização de uma reportagem sobre os 10 soldados portugueses passados pelo Cemitério do Commonwealth de Saint Venant, o LusoJornal e Christine da Costa dirigiram-se ao Cemitério alemão de Bauvin onde se encontra um soldado português praticamente esquecido.

Ali foi depositado um vaso de flores para lembrarmos que também ele tem direito de ser lembrado.

Neste cemitério estão sepultados 2.211 soldados alemães, 7 russos, 2 austro-húngaros e um português.

Sabemos que ali está um português, embora das pesquisas feitas ainda não se conheça exatamente o nome completo (1). Na Totenlist, lista alemã dos falecidos, descreve-se como estando enterrado em Bauvin um soldado português denominado sob o nome de Silver/Silvar. Este terá sido ferido e feito prisioneiro durante a Batalha de La Lys, tendo morrido em Provin, em terreno alemão, no dia 14 de abril e enterrado em Bauvin.

Neste cemitério alemão, ao contrário de outros, os soldados falecidos alemães não são lembrados por uma cruz em metal, mas sim em pedra, as sepulturas estando alinhadas ou por vezes em forma concêntrica.

O soldado português “Silver/Silvar” é assinalado no cemitério por uma cruz de forma diferente e com uma cor mais clara do que as cruzes alemãs. Na cruz está escrita a frase “Silver prisonnier de guerre, Mort pour la France le 14/04/1918”.

Na Totenlist recuperámos indicações de Silver/Silvar, que traduzimos do alemão: “Classe e unidade desconhecida. Falta de informações adicionais. Morreu em 14/04/18 após um tiro no estômago. Enterrado no cemitério de guerra. Túmulo individual n°1.213. Notificado pelo hospital militar em 28/04/18. Arquivo 22.598/W”.

No site “Mémoires des Hommes”, na base “Sépultures de guerre”, o soldado Silver está também aí mencionado.

Aqui fica lembrado este soldado que fez parte do Corpo Expedicionário Português (CEP), que a família não viu regressar e nada sabendo do seu paradeiro.

Aqui lembrado, aqui homenageado, homenageado por Christine da Costa e seu filho Matias que em seu nome, do LusoJornal e de quantos gostariam de por ali passar, depositou um vaso de flores.

Soldado «Silver/Silvar», soldado português desconhecido (?), esquecido… lembrado.

 

(1) Um soldado de nome Silvério de Jesus Pires é dado como desaparecido na sua ficha militar, contudo não há, por enquanto, a certeza que Silver seja este soldado do CEP.

 

Comunidade

 

X