Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

António Capela é empresário e foi eleito Conselheiro das Comunidades Portuguesas para as áreas consulares de Bordeaux e de Toulouse. Chega agora ao termo do mandato, embora as eleições do CCP só tenham lugar depois das eleições legislativas em Portugal.

“O nosso grande problema aqui é que o Vice-Consulado de Toulouse não tem apoios sociais. E isto não é normal, é um grande falhanço e para mim é o principal de todos os problemas” começa por explicar ao LusoJornal. “Qualquer posto consular havia de ter atividade social. Nós temos Portugueses na miséria em França. Garanto-lhe que desde que fui eleito Conselheiro, paguei muitas despesas do meu bolso. Quando há problemas com algum Português em Toulouse, vêm ter comigo. Ainda há pouco tempo foi uma senhora que assinou um contrato de trabalho, veio com uma filha de 6 anos para Toulouse, o patrão devia fornecer-lhe alojamento, mas não forneceu nada. Fui eu que lhe paguei o bilhete de autocarro para ir embora”.

Outro dos problemas que identifica na área consular, é a falta de funcionários no Posto. “Este posto atende muita gente. É verdade que atendem toda a gente no dia, mas por vezes têm de ficar a trabalhar até às 20h00” diz ao LusoJornal. Diz que o Vice-Consulado devia ser reforçado, considera a chegada do Vice-Cônsul Miguel Costa muito competente, mas considera também que “haviam de ter um Vice-Cônsul de cá em vez de mandar vir alguém de fora que fica mais caro”.

Interrogado sobre os pontos mais positivos do seu mandato, diz sem hesitação que foi ter conseguido duas Permanências consulares: uma em Fumel (a terra da mulher), feita pelo Consulado Geral de Portugal em Bordeaux e outra em Perpignan feita pelo Vice-Consulado de Toulouse.

O Conselheiro das Comunidades diz que a sua implicação na Comunidade não se limitou à sua função de Conselheiro e lembra que já antes estava “fortemente ligado à Comunidade” dando como exemplo o esforço que fez para organizar o movimento associativo. “Em Toulouse não há problemas com as associações, existe uma Federação com um excelente Presidente, tem um calendário oficializado para não haver guerras e superposição de festas” mas este é um trabalho que já fazia antes de ser Conselheiro.

António Capela diz ter boas relações com muitos autarcas em França e, enquanto Conselheiro das Comunidades faz um balanço positivo do trabalho do Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro. “Somos dois nortenhos e temos amigos em comum” garante. “Tem todas as qualidades. Esta é a primeira experiência e devia continuar nestas funções no próximo mandato”.

Diz também que podia ser um bom Deputado pela emigração, mas depois corrige que “os Deputados pela emigração devem morar na Emigração”.

António Capela faz um “balanço positivo” da sua passagem pelo Conselho das Comunidades, considera que não foi uma boa ideia ter juntado num mesmo círculo eleitoral as áreas consulares de Bordeaux e de Toulouse, mas que o problema acabou por ser ultrapassado com a eleição de um Conselheiro em Toulouse e outro em Bordeaux. “Tenho ótimas relações com o meu colega Conselheiro em Bordeaux” diz ao LusoJornal, referindo-se a Valdemar Félix.

Mas António Capela não vai voltar a candidatar-se, alegando “problemas profissionais e de saúde”. Mas sugere que o próximo Conselheiro das Comunidades seja Vítor Oliveira porque “é um rapaz excecional”. E conclui que “vou sugerir que seja ele. Ele é a pessoa mais adaptada para isto”.

 

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 11 Votos
5.8
X