Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Nome da associação: Da Minha Terra

Data de criação da associação: Julho de 1978 (Publicação no JO de 28 de dezembro de 1984

Cidade: Brive-la-Gaillarde (19)

Presidente: Agostinho da Silva

Telefone: 06.72.75.44.06

Mail: philo.f@sfr.fr

 

Nome do grupo folclórico: Grupo folclórico Da Minha Terra

Data de criação: Julho de 1978

Região: Alto e Baixo Minho

Ensaiador: Marie-Philomène Fonseca

Telefone: 06.59.71.03.92

 

_______________________________

Uma entrevista com Lucília Vilela, Tesoureira

 

Quando foi criado o grupo?

O grupo foi criado em 1970. Era um grupo de emigrantes em Brive, todos da região de Guimarães. Para matar saudades, resolveram encontrar-se para dançar aos domingos. Dai surgiu a ideia de formar o grupo. Em 1977, os responsáveis foram embora para Portugal e levaram tudo, instrumentos e trajos. E foi o Presidente atual, Agostinho da Silva que resolveu formalizar este grupo e dar-lhe o nome “Da Minha Terra” em 1978 e recomeçar a comprar instrumentos. Cada um dançava com o seu próprio trajo, feito em casa. Só muito mais tarde, quando o grupo teve algumas moedas é que comprou trajos.

 

Qual é a região que o grupo representa?

A região do Alto e do Baixo Minho, por causa da origem das pessoas e dos nossos trajos.

 

O grupo tem alguma particularidade que se possa destacar?

Criámos uma escola de folclore e de concertina, e dai apareceu o nosso grupo de concertinas, “Os Amigos de Brive”, em 2004.

 

O grupo é federado na Federação do folclore português?

Não. Mas estamos inscritos na Fédération des oeuvres laïques (FOL).

 

Quantos elementos tem o grupo?

Ao total somos 55 elementos, dos 3 aos 80 anos.

 

Já gravaram algum CD?

Gravamos um CD em 1993 chamado “Grupo folclórico Da Minha Terra Brive”

 

Organizam algum Festival?

Sim, organizamos um Festival todos os anos, na Salle Georges Brassens, em outubro.

 

Que outros eventos organizam?

Organizamos vários jantares e bailes à portuguesa, a árvore de Natal, Festa da Páscoa, Festa da Geminação com Guimarães, que foi assinada há 26 anos, etc.

 

Qual a saída que mais marcou o grupo?

Temos várias saídas durante o ano. Já fomos a Portugal, Andorra, Mónaco e várias cidades de França. A que mais nos marcou mais foi a viagem à Suíça.

 

Quais as vossas principais dificuldades?

Os transportes são exageradamente caros para deslocar o nosso grupo de 55 pessoas, assim como a compra dos trajos originais e de instrumentos.

 

Tem apoio da Mairie de Brive?

Temos o apoio da Mairie de Brive-la-Gaillarde, que nos põe um local à disposição para os nossos ensaios. Também dão uma ajuda para o aluguer da sala para o Festival anual, e dão ajuda na parte técnica.

 

E de Portugal, têm algum apoio?

Não. Em 40 anos de existência, só recebemos uma bandeira portuguesa.

 

Qual é o principal sonho do grupo?

É festejar os 50 anos, na presença de todos?

 

Na sua opinião, como se porta o folclore português em França?

O folclore português está bem presente em França. Cada um com a suas tradições. Há grupos muito bons, há bons e grupos menos bons. O principal é existir e fazer permanecer as tradições. O nosso grupo vai buscar as forças junto da Comunidade portuguesa, que está sempre recetiva às danças, aos cantares e à gastronomia tradicional portuguesa, sendo estes os remédios para combater a saudade de Portugal.

 

Associações
X