Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O município de Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, está a disponibilizar testes gratuitos à Covid-19 aos emigrantes e aos visitantes do concelho, disse à Lusa o seu Presidente.

“Temos vindo a fazer uma sensibilização junto das pessoas e, principalmente, junto da população que agora regressa à sua terra natal, falo concretamente dos emigrantes e também dos visitantes ao concelho, mantendo o cumprimento das regras que estão emanadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS)”, disse Paulo Langrouva.

Segundo o responsável, o município de Figueira de Castelo Rodrigo, situado junto da fronteira com Espanha, tem “uma estratégia bem definida” relativamente ao combate à pandemia. “Já disponibilizamos há muito tempo e continuamos a disponibilizar testes para o Centro de Saúde de Figueira de Castelo Rodrigo, para serem gratuitos, para serem realizados por quem queira e por quem tenha necessidade para que se faça a tal despistagem de situações de Covid”, adiantou.

A facultação de testes gratuitos para despiste à Covid-19 “não é uma política de agora, é uma política que vem de há um ano e meio para cá”, sublinha. “Nós queremos é que se faça a despistagem quando há necessidade e quando há suspeitas. Assim que houver suspeita de que pode haver um caso, as pessoas têm essa informação de que se podem dirigir ao município ou ao Centro de Saúde para fazerem os testes”, acrescentou o autarca de Figueira de Castelo Rodrigo.

Langrouva adiantou que a autarquia prossegue com uma campanha de sensibilização junto dos residentes e dos visitantes para “que se mantenham as regras do distanciamento, o cumprimento do uso obrigatório de máscara e para evitar os aglomerados de pessoas, principalmente em espaços fechados”.

A sensibilização é feita pela Câmara Municipal em colaboração com a Guarda Nacional Republicana (GNR). “Este é o nosso propósito e a nossa missão, que vamos continuar a reforçar e a manter, porque a situação da pandemia ainda não está totalmente ultrapassada”, rematou Paulo Langrouva.

 

Comunidade

 

X