Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

O internacional português e guarda-redes do Lyon, Anthony Lopes (na foto), admitiu que o Benfica está “mais pressionado” a vencer a equipa francesa, para o grupo G da Liga dos Campeões de futebol, e confessou que o encontro desta quarta-feira vai ser “especial”.

“[Regressar a Portugal] É especial para mim, claro. É um jogo que me permite jogar no meu país. Conheço o estádio e alguns jogadores que vou defrontar, portanto, não será nenhuma novidade”, disse o guarda-redes do Lyon, em conferência de imprensa.

Anthony Lopes falava na antevisão da partida desta quarta-feira, no Estádio da Luz, onde o Lyon, que tem quatro pontos em dois jogos, vai defrontar um Benfica que somou dois desaires e está em ‘branco’ no grupo G.

“Sabemos que eles precisam de um resultado positivo, precisam de uma vitória e têm a obrigação de ganhar. No entanto, nós também. Estamos aqui para ganhar o jogo, conquistar pontos. Eles têm mais pressão, porque não conseguiram conquistar qualquer ponto nos primeiros jogos”, observou.

O guarda-redes lusodescendente elogiou ainda os métodos do novo treinador da equipa, Rudi Garcia, que recentemente substituiu o Brasileiro Sylvinho: “Tem métodos muito bons. Cabe-nos agora trabalhar o mais possível. Estamos juntos há pouco tempo, mas estamos no bom caminho.”

Aos 29 anos, Anthony Lopes é um dos jogadores mais antigos do plantel do Lyon, tendo, inclusive, defrontado o benfiquista Haris Seferovic, em 2013. O avançado suíço atuava na Real Sociedad e, na altura, chegou mesmo a bater o guardião luso na primeira mão do ‘play-off’ da Liga Europa entre franceses e bascos.

“Lembro-me perfeitamente do golo do Seferovic”, começou por comentar entre sorrisos, antes de deixar uma ressalva: “O perigo no Benfica vem de todos os lados. De qualquer forma, nós também temos armas para ganhar o jogo », concluiu Anthony Lopes.

 

Rúben Dias acredita que Benfica vai voltar aos bons resultados na Europa

O defesa internacional português do Benfica, Rúben Dias, disse que a equipa lisboeta vai procurar regressar às vitórias na Liga dos Campeões de futebol, no desafio da terceira jornada do grupo G, diante do Lyon.

“Nunca avaliamos a nossa equipa de forma individual, avaliamo-la como um todo. Os resultados [na Liga dos Campeões] não têm sido os melhores, mas a nossa ambição passa por querermos ser melhores, querer vencer e corresponder”, afirmou o central, na conferência de imprensa de antevisão à partida desta quarta-feira.

Rúben Dias reconheceu o valor do adversário, que lidera a ‘poule’, com quatro pontos, em igualdade pontual com o Zenit, mas frisou que os ‘encarnados’, em último sem qualquer ponto, têm de pensar primeiro naquilo que vão fazer em campo.

“Temos claramente noção de que vai ser uma partida difícil, contra um adversário muito forte. Na nossa cabeça está primeiro aquilo que nós queremos, vamos ter um adversário difícil de superar”, vincou.

Questionado sobre se jogar contra o Lyon poderia ter uma sensação diferente, uma vez que os franceses mostraram interesse no jogador luso em 2018, Rúben Dias foi perentório: “O meu nome foi associado ao Lyon como foi a muitos outros clubes. Sempre estive tranquilo e tenho a cabeça onde tem de estar, no Benfica.”

O Benfica, quarto e último colocado do grupo G, sem qualquer ponto, recebe o Lyon, segundo, com quatro, nesta quarta-feira, a partir das 21h00, no Estádio da Luz, em Lisboa, num encontro que será dirigido pelo Eslovaco Ivan Kruliak.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 1 Voto
9.2
X