Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

O português Fábio Lopez, Diretor artístico e coreógrafo residente da “Compagnie Illicite Bayonne”, foi nomeado pela Ministra francesa da Cultura, Roselyne Bachelot, Chevalier de l’Ordre des Arts et des Lettres.

“Estou muito sensibilizado por receber esta distinção pelo meu trabalho enquanto coreógrafo e dançarino” diz Fábio Lopez. “Agradeço a todos os que me apoiaram e que acreditaram em mim durante todos estes anos. Aguardo com impaciência o momento em que nos poderemos reunir para celebrarmos juntos” escreveu nas redes sociais.

Fábio Lopes nasceu em Lisboa em 1986 e estudou na Escola Artística de Dança do Conservatório Nacional. Em 2004 foi para Nova Iorque e depois para a Suíça, tendo trabalhado com Maurice Béjard, entre muitos outros coreógrafos. “Quando vim para o estrangeiro, com 17 anos, cada vez que dizia o meu nome, escreviam-no sempre com Z. Eu tinha programas de espetáculos, quando dançava com o Maurice Béjart, e escreviam o meu nome sempre com Z. Então, para guardar a mesma identidade, decidi deixar ficar o Z no meu nome” explicou numa entrevista ao LusoJornal.

Em 2015, dez anos depois de ter chegado a Bayonne, fundou a “Compagnie Illicite” que ainda dirige. Considera-se um coreógrafo académico e evolui numa linha neoclássica.

 

Cultura
X