National 2: Lusitanos fulminados pela Covid lamentam que a Federação não queira adiar o jogo

Desporto

 

Os Lusitanos de Saint-Maur lamentam a decisão da Federação Francesa de Futebol em manter o jogo deste sábado, a contar para a 9ª jornada do Campeonato National 2, frente ao Stade de Reims B. Em causa está um pedido de adiamento do clube franco-português devido a uma vaga de Covid na equipa.

Com vários casos positivos, o jogo previsto para sábado passado, dia 29 de outubro, frente ao Boulogne-sur-mer, foi “logicamente” adiado.

“Seguindo os protocolos de isolamento em vigor, de 7 a 10 dias, com muito rigor, para combater eficazmente a propagação do vírus, os jogadores e o staff ficaram privados de treinos e do Estádio Chéron para lidar com este surto que atingiu mais de 18 jogadores e membros da equipa técnica… com, já no horizonte, este encontro da 9ª jornada da N2, frente ao Stade de Reims B previsto para dia 5 de novembro” diz um comunicado do clube distribuído esta manhã. “Era então óbvio que, dada a situação atual, ia ser complicado manter a boa organização deste jogo. Especialmente porque novos casos positivos foram adicionados ao longo dos dias”.

O adiamento era então evidente, tanto para o club de Saint-Maur, como para o Stade de Reims. No entanto, a FFF opôs-se a novo adiamento e não aceitou “medidas excecionais para uma situação excecional” como lamentam os Lusitanos.

“Considerado como uma simples ‘gripe’ ou uma ‘gastro’, um cluster de Covid não serve de pretexto para um novo adiamento” lê-se no comunicado. Uma decisão que os Lusitanos deploram e lamentam face à situação de saúde que o Clube atravessa há uma semana. “Para a Federação Francesa de Futebol, os Lusitanos têm suficientes licenciados Séniores e Sub-19 que podem entrar em campo este sábado. É uma resposta grotesca quando se sabe a importância do treino coletivo para constituir uma equipa. Colocando claramente um problema do ponto de vista ético num Campeonato National 2 que não deixa espaço para improvisação, ainda mais nesta temporada que verá 5, até 6, equipas descerem de divisão. E com impacto nas outras equipas do Clube que jogam neste fim de semana. Sem que isso preocupe a FFF”.

Mas os dirigentes do Lusitanos de Saint Maur alertam também para o perigo sanitário que tal decisão das instâncias federativas pode ter, tanto para os jogadores como para aqueles que os enquadram e para as suas próprias famílias. “Tanto mais que alguns Lusitanos ficaram bastante abalados nos últimos dias. Estes, mesmo aptos, 24 horas antes de um jogo de futebol, seria quase inimaginável vê-los presentes em campo. O risco de contaminação sendo também possível para o adversário que é equipa reserva de um clube profissional”.

Os Lusitanos de Saint Maur consideram que devem proteger os seus jogadores, mas também todos os outros intervenientes do jogo, desde os árbitros aos delegados de jogo, passando pelos próprios dirigentes e mesmo pelos adeptos, e afirmam que o Stade de Reims “foi fair-play” e estava disponível para adiar o jogo “tanto mais que não faltam datas disponíveis no calendário da N2”.

A equipa franco-portuguesa ainda espera que a Federação mude de opinião até amanhã porque “jogar este jogo seria um grave prejuízo sanitário e desportivo”.

 

Donativos LusoJornal