Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Donativos LusoJornal

 

Por iniciativa da Maire Adjointe Rosa Macieira Dumoulin (92), a cidade de Antony acabou de criar o “Conseil Antonien des Européens”, um conselho consultivo dos cidadãos europeus residentes na cidade. A apresentação pública teve lugar na semana passada, na presença do Deputado português Carlos Gonçalves, do Maire Adjoint de Paris Hermano Sanches Ruivo e do Maire de Antony, Jean-Yves Sénant.

Antony é uma cidade com cerca de 62.000 habitantes, a menos de 10 km de Paris, com cerca de 20% da população de origem estrangeira e onde Rosa Macieira Dumoulin contou 21 nacionalidades europeias.

“É claro que me apercebi, como em muitas outras cidades, que a maioria dos cidadãos europeus residentes em Antony, vêm de Portugal, da Alemanha, da Itália e da Espanha, mas eu identifiquei 21 nacionalidades europeias presentes na cidade”. E acrescenta que “isto é uma grande vantagem”.

Para além de ter o pelouro dos Seniores, Rosa Macieira Dumoulin tem também o pelouro da Europa e foi neste quadro que lançou este Conselho europeu. No dia 19 de maio de 2021 o projeto foi aprovado no Conselho municipal. O órgão pode ter 27 representantes, mas por enquanto apenas 14 lugares foram ocupados. “Muita gente pensava que eu não teria mais de 7 ou 8 participantes e afinal estou contente que tivessem surgido muitas candidaturas que chegaram no seguimento do apelo que lançámos através do magazine da cidade” diz Rosa Macieira Dumoulin ao LusoJornal.

Para já, o “Conseil Antonien des Européens” integra membros da Alemanha, Reino Unido, Polónia, Itália, Finlândia, Irlanda, Bielorrússia, Sérvia, Espanha, Portugal e França, sabendo que Reino Unido, Espanha e Portugal, têm dois membros cada um destes países.

Rosa Macieira Dumoulin encontrou todos os candidatos antes da nomeação, quis explicar-lhes o projeto de viva voz e quis ouvi-los. Quer que cada um promova o seu país em Antony, que tenham orgulho das suas raízes, mas também que estejam abertos ao mundo, a descobrir os outros países. É nesta troca que gostava de ver o Conselho ativo.

Carla da Silva leu o apelo no Magazine municipal e respondeu. Nasceu e cresceu em Arouca até ir estudar no Porto e vir fazer um Erasmus em França. Acabou por ficar cá e fundou família precisamente em Antony. Trabalha no setor bancário e já está implicada na Comissão de pais da escola da filha.

“Eu já estava há muito tempo à procura de um projeto para me implicar mais na cidade de Anthony. Agora tive a oportunidade de aceitar este desafio” explica ao LusoJornal.

Marie Limões Sampaio trabalhava até há pouco tempo num restaurante familiar português em Antony, com a mãe e o irmão. Agora decidiu regressar aos bancos da universidade para terminar uma licenciatura. “Portugal tem muito para mostrar, foi por isso que me candidatei”. A jovem franco-portuguesa, com origens em Bragança, ficou admirada com as nacionalidades que descobriu em Antony. “Vou ficar a conhecer outros países. Acho muito bem misturar culturas e aprender com os outros” confessou ao LusoJornal.

Até à primeira reunião de apresentação, nenhum deles se conhecia. “A minha motivação principal é a de descobrir os outros cidadãos e de mostrar o que cada país e que cada cidadão de outro país pode mostrar” diz Rosa Macieira Dumoulin. “Também podemos ir buscar exemplos lá, porque muitas vezes temos a impressão de que já descobrimos tudo, que sabemos tudo, e pelo contrário, eu penso que todas as ideias que nós podemos transpor para Antony são importantes e são bem-vindas”.

Rosa Macieira Dumoulin é natural de Soajo, no concelho de Arcos de Valdevez e conseguiu assinar um Protocolo de Geminação entre Antony e os Arcos.

Aliás, Antony tem 11 geminações ativas, com cidades da Alemanha, Inglaterra, Arménia, Estados Unidos, Itália, Israel, República Checa, Tunísia, Grécia, Líbano e Portugal. “Como neste Conselho dos Europeus não nos impedem de sonhar, um dia, porque não fazer uma geminação também com a cidade de Arouca?” lança Carla da Silva na entrevista ao LusoJornal.

Outros projetos já começaram a surgir, como por exemplo o de realizar um Festival de cinema europeu na cidade. Este seria um projeto transversal a todos os países, mas também podem surgir projetos temáticos implicando apenas alguns países, ou projetos de descoberta de um só país, como explicou a “mãe” do Conselho.

A primeira reunião de “verdadeiro trabalho” vai ter lugar no início de dezembro. Até aqui, apenas fizeram a apresentação do Conselho e dos seus membros. “Na próxima reunião já entraremos em projetos” diz com entusiasmo a Maire-Adjointe.

E a partir do próximo ano, a cidade quer comemorar o “Dia da Europa”. Rosa Macieira Dumoulin afirma que espera ter, pelo menos, a presença dos Embaixadores da Grécia, da Itália e de Portugal. “Os três ficaram muito contentes com este projeto e penso que vão estar connosco”.

E como “o sonho comanda a vida”, a autarca franco-portuguesa, cujos netos têm origens gregas e britânicas, gostava de transformar Antony numa “verdadeira cidade europeia”.

 

Comunidade

 

X