Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Tiago Djaló é a mais recente pérola portuguesa dos Franceses do Lille. O defesa-central de 19 anos chegou ao clube do Norte da França proveniente dos Italianos do AC Milan, treinou, foi apresentado à imprensa, e foi titular na primeira jornada frente ao Nantes, um encontro que os ‘Dogues’ venceram por 2-1.

A estreia do jovem português não podia ter sido melhor. Aproveitando as ausências dos habituais titulares, Tiago Djaló fez dupla com o internacional português José Fonte e deverá repetir a titularidade neste sábado na deslocação ao terreno do Amiens.

O LusoJornal teve a oportunidade de falar com o jovem defesa-central que não só foi titular frente ao Nantes, como também estreou-se na Ligue 1, estreou-se com a camisola do Lille e também disputou o primeiro jogo como profissional, quer dizer, jogou pela primeira vez com a equipa principal do clube que representa, ele que foi formado no Sporting CP e que estava no AC Milan.

Foi o seu primeiro jogo como profissional numa equipa principal?

É verdade. Estou muito feliz por isso e vou dar continuidade para fazer muitos mais jogos. (Ficou surpreendido ou não com a titularidade?) Trabalho sempre para jogar, isto independentemente dos jogadores que tenho na minha posição, treino sempre para poder jogar nos fins de semana. Não digo que fiquei surpreendido, porque trabalho para ter oportunidades, e agora quero dar continuidade e fazer mais jogos.

As pernas tremeram?

Não tremi e não costumo tremer. Sei controlar essa situação. Obviamente que estive um pouco ansioso pelo primeiro jogo que eu iria fazer, mas penso que as coisas correram muito bem. Não tenho muito medo de fazer aquilo que mais gosto que é jogar futebol. Obviamente que estava um pouco ansioso, mas medo não.

Vencer dá confiança?

É um triunfo importante sobretudo na primeira jornada, sobretudo na minha estreia. É sempre importante ganhar em casa ou fora. O pensamento é sempre ganhar os jogos, sempre bom ganhar em casa para ganhar confiança. A equipa quer ganhar muito mais jogos. Foi muito bom, não só pela exibição, mas sim pela vitória também. Agora é continuar a trabalhar, e descansar também, bem como aproveitar as oportunidades que vou ter e mostrar aos fãs o jogador que sou.

Houve uma quebra da equipa na segunda parte?

Sinceramente não senti a diferença. Penso que nos últimos 10 minutos da primeira parte, a equipa rebaixou-se um pouco e parou de pressionar os defesas, isso fez com que eles começassem a sair a jogar. Mas de resto acho que a equipa esteve muito bem.

O Victor Osimhen chegou e marcou dois tentos, duas estreias no campeonato com a sua também?

Estou feliz com o Victor, com os dois golos que ele fez. Foi uma estreia muito boa. Penso que chegou aqui com a mesma vontade do que eu, que é de ganhar um lugar. É bom corresponder às expectativas e poder lutar por um lugar. Acerca de mim, acho que estive bem, e quero agradecer tanto o José Fonte como os meus outros colegas por terem-me apoiado. Espero dar continuidade a fazer bons jogos.

Quais são os objetivos pessoais? Já pensou no regresso dos lesionados?

Obviamente tenho noção disso. Sou profissional, tenho de trabalhar para conquistar o meu lugar. Se jogo ou não, é a decisão do Mister. Mas eu sou um profissional, o clube paga-me para ser profissional, para ser um exemplo, e trabalhar para ajudar o clube.

Como tem sido a adaptação?

A adaptação foi boa. Desde que cheguei, tudo foi fácil, sobretudo quando há pessoas que te podem ajudar e percebem o jogador que és. É sempre bom e facilita. A integração é mais fácil quando há jogadores que sabem explicar e que falam a tua língua. Isso é muito bom e tem-me ajudado a corresponder melhor em campo.

O que podemos dizer de José Fonte?

É uma lenda em Portugal. Foi muito bom jogar com ele. Eu gosto de jogar, com qualquer colega de equipa, mas claro especialmente com ele, porque é o jogador mais experiente da equipa e claro será mais fácil crescer.

Antes de assinar pelo Lille, conhecia o clube?

Sim conhecia e no ano passado eles surpreenderam toda a gente. Eu gosto de acompanhar todas as ligas e gostava muito de ver o Lille a jogar porque tem jogadores de qualidade. Quando tive a oportunidade de assinar pelo Lille, não hesitei.

Jogar no Lille aproxima o Tiago da Seleção Portuguesa…

Penso que sim, mas isso depende dos jogos que faço, das oportunidades, das lesões, acho que isso é tudo importante. Obviamente que é sempre um passo à frente.

Quais são os objetivos do clube?

Nós vamos sempre lutar pelo primeiro lugar. Se não conseguirmos ficar no primeiro lugar, tentamos ficar em segundo. Se não conseguirmos ficar no segundo, tentaremos o terceiro. Mas o objetivo é sempre ganhar, independentemente de quem estiver na frente ou de contra quem iremos jogar. O objetivo é sempre ganhar. A equipa é muito jovem, com jogadores de qualidade, e com boas pessoas que ajudam a integrar os jogadores novos na equipa. Penso que a equipa tem muita qualidade de passe, sabe sair a jogar e sob pressão, e isso é muito bom para nós.

O que nos pode dizer sobre o Campeonato francês?

É um campeonato com qualidade, é intenso. Para mim foi um pouco mais difícil por causa da ansiedade, mas acho que correspondi bem e vou habituar-me à liga francesa.

Este ano o Lille vai estar presente na Liga dos Campeões, isso é importante para si?

Ainda não pensei nisso, mas admito que é importante para um jovem como eu, fazer jogos na Liga dos Campeões, mas isso é passo a passo, trabalho, dia após dia, e penso que as oportunidades poderão surgir.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 2 Votos
6.4
X