Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Toy e Chris Ribeiro cantaram em Blanc Mesnil

LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes LusoJornal / Lia Gomes

Toy e Chris Ribeiro foram os cabeças de cartaz do concerto que teve lugar no sábado passado, dia 19 de outubro, no Ginásio Augusto Delaune, em Blanc Mesnil, numa organização da Associação portuguesa daquela cidade dos arredores de Paris.

Mais de 1.300 pessoas estavam na sala, o que deixou o Presidente da coletividade, Luís Gonçalves, visivelmente contente.

Tanto Toy como Chris Ribeiro cantaram pela primeira vez em Blanc Mesnil, mas os dois têm vindo frequentemente à região de Paris.

Para Chris Ribeiro é bem mais fácil. O cantor nasceu em França, na região de Strasbourg, onde ainda reside e disse ao LusoJornal que “aderi imediatamente ao convite que me foi feito porque o que eu gosto mesmo é de estar em palco e ainda para mais aqui, perto da capital”.

Já era meia noite quando o cantor subiu ao palco, não apenas para cantar o tema que o público conhece melhor, a “Laurindinha”, mas também cantou temas do último álbum que saiu em agosto do ano passado e cuja digressão de apresentação está agora a chegar ao fim.

Mesmo se confessa que “não podemos divulgar tudo”, vai acrescentando que está a trabalhar em novos projetos. “Não podemos ficar parados, temos de seguir e evoluir na carreira”. E Chris Ribeiro tem evoluído bastante na carreira. “Tem corrido muito bem, mais do que estávamos à espera” confessa ao LusoJornal, argumentando que tem tido muitos concertos e que tem corrido o mundo inteiro, desde a África do Sul e Austrália, ao Canadá e aos Estados Unidos. “Está a correr lindamente. Só posso agradecer a Deus e esperar que continue”.

Depois de Chris Ribeiro, subiu ao palco Toy. “Penso que a primeira vez que vim à região de Paris foi em 1991, à discoteca Costa do Sol, a convite dos meus amigos Lacerda e José da Silva” lembrou ao LusoJornal. Mas depois voltou muitas mais vezes e lembra a passagem recente na Festa franco-portuguesa de Pontault-Combault. “Mas vou mais à Suíça, ao Canadá, aos Estados Unidos e até à Austrália” conta.

São viagens muito rápidas, chegou de manhã, cantou à noite e regressou a Lisboa na manhã seguinte. “Não dá para ver nada” disse ao LusoJornal. “Mas gostei das pessoas que conheci. Foram simpáticas comigo”. E anuncia ao LusoJornal que vai regressar brevemente para cantar em França.

Toy está a fazer um novo álbum, “mas não tenho tido tempo, tenho tido concertos praticamente todos os dias”. No entanto, todas as atenções do cantor vão para um projeto que considera “megalómano” nos Estados Unidos. “Estamos a preparar a divulgação de um álbum nos Estados Unidos da América com uma banda americana de heavy metal no qual eu participei. Fiz uma participação de letra e música da minha autoria e o vocalista americano está a cantar em português, vai ser editado no mundo inteiro. Neste momento este projeto é o mais aliciante de todos, e depois vamos esperar até que ponto isto vai dar frutos. Este é o meu projeto mais forte, mais megalómano, porque engloba o mundo inteiro” disse ao LusoJornal visivelmente contente.

O baile foi animado pelo grupo “25 de Abril”.

Luís Gonçalves é o Presidente da Associação Portuguesa de Blanc Mesnil, criada em 2005 e que conta atualmente com cerca de 300 aderentes. “Em outubro tivemos o Mês de Portugal em Blanc Mesnil, e tivemos um evento cada fim de semana. No dia 26 vamos ter uma noite de fado”.

A associação – com sede no 12 rue Corneille, em Blanc Mesnil – organiza uma festa por mês e está aberta todos os sábados, das 15h00 às 1h00 da manhã, e aos domingos, das 15h00 às 21h00.

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
4.7
X