Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.
Ensino

 

Esta quinta-feira, dia 14 de abril, o Leitorado de Português da Universidade Jean Monnet de Saint Etienne organiza um fórum sobre “Territórios e universalidade de culturas”, que coloca a pergunta “A Lusofonia – uma utopia?” e que contará com testemunhos de personalidades do mundo lusófono, seguido de uma mesa-redonda sobre “O Quinto Paradigma – a diversidade na unidade” com Carlos Henriques Pereira, Professor da Université Sorbonne Nouvelle. Os alunos de terceiro ano de LEA Inglês-Português serão os mediadores da conferência.

“O projeto Lus’Utopia? nasceu de uma reflexão sobre o lugar que as línguas e culturas podem ocupar no processo de globalização e, mais especificamente, a língua portuguesa. A lusofonia caracteriza-se por ser um grande grupo linguístico, cultural, histórico, geográfico e simbólico partilhado por 250 milhões de pessoas no mundo e ocupa, hoje, um lugar predominante nos intercâmbios internacionais” diz uma nota da universidade enviada às redações. “Este espaço é representado por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e o território de Macau, bem como pelas comunidades de Goa, Damão e Diu (na Índia), países e territórios que partilham a mesma expressão e onde a história uniu identidades plurais. Vários países e Comunidades em todo o mundo, tais como a Espanha, Andorra, o Luxemburgo, a França, a Venezuela, o Paraguai, o Uruguai, a África do Sul e a Namíbia também pertencem a este espaço e partilham o uso da língua portuguesa nos seus territórios”.

A primeira edição do projeto Lus’Utopia? teve lugar em 2020 e propôs um olhar sobre a Lusofonia como uma viagem rumo a um futuro comum, destacando reflexões sobre os diferentes elementos culturais que o definem como um espaço de convergência de diversidades. Esta segunda edição procurará destacar a Lusofonia como um espaço de conhecimento (construção, disseminação e apropriação) e um espaço de construção de identidade.

O Leitorado de Português da Universidade Jean Monnet cita Vergílio Ferreira: “Uma língua é o lugar donde se vê o Mundo e em que se traçam os limites do nosso pensar e sentir. Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto. Por isso a voz do mar foi a da nossa inquietação”.

O evento começa às 10h00, no Atrium da Bibliothèque Universitaire (BU), com o apoio do ILCP de Lyon, do Consulado Geral de Portugal em Lyon e do LusoJornal.

 

Donativos LusoJornal

 

X