Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

No dia 26 de março, a turma do 11º ano (Première) da Secção Portuguesa do Lycée International de Saint Germain-en-Laye, acompanhada pelos professores Luís Filipe Pedrosa e Isabel Costa, bem como M. Vaillant e M. Bonnet, realizou uma visita de estudo a Caen, na Normandia.

Foi nesta cidade que, no dia 6 de junho de 1944, desembarcaram soldados americanos, canadianos e ingleses para libertar o país que, naquela época, estava sob ocupação alemã. Durante o desembarque, que ocorreu nas praias de Yuth, Omaha, Gold e June, 34.000 soldados desembarcaram e 3.500 morreram, no que foi o mais mortífero confronto da II Guerra Mundial.

Os alunos, 75 anos depois do desembarque, foram visitar esses locais históricos. Saíram de Saint Gemain-en-Laye às 7h00 da manhã e chegaram à praia de Omaha três horas depois. Durante alguns minutos, tiveram tempo de admirar a beleza da praia principal do desembarque, que tem 6 km de comprimento. Em seguida, voltaram ao autocarro e prosseguiram em direção a um campo enorme, por detrás da praia, e puderam ver bunkers onde os alemães se podiam esconder, mas também atacar o inimigo, em caso de invasão. O interior destes esconderijos era muito simples, todo em cimento e com um canhão enorme (6m de comprimento e 18 km de alcance), mas podiam lá trabalhar dez pessoas.

Depois de ver os bunkers, os alunos seguiram para o Cemitério americano de Colleville. A visita começou por volta do meio-dia e todos ficaram impressionados com um memorial gigante, rodeado de muros, onde 1.557 nomes de soldados estavam escritos, mas só 9 corpos foram encontrados e, ao pé desses 9 nomes, encontra-se uma estrelinha de bronze. Os alunos também observaram atentamente uns mapas que mostram as fases e desembarques da II Guerra Mundial.

Depois desse memorial, situava-se o cemitério e foi impressionante ver tantas cruzes latinas seguidas, muito alinhadas. No total, há 9.387 lápides com forma de cruzes (para os cristãos) ou estrelas de David (para os judeus) ou de lua (para os soldados muçulmanos). A guia da visita explicou que os soldados que tinham laços de parentesco, tinham sido enterrados lado a lado e, ao longo do tempo, para os corpos que entretanto tinham sido encontrados, as famílias podiam escolher trasladá-los para os USA ou deixá-los em França.

Depois, como estava um dia de sol muito agradável, o almoço teve lugar nos jardins do memorial. De lá vê-se a praia de Omaha e tivemos acesso à mesma. Depois, o grupo dirigiu-se ao memorial de Caen, um edifício que conta a história de 1929 até ao fim da guerra fria (1991), mas a visita interessava-nos apenas até ao Julgamento de Nuremberga. O Memorial é original, pois é uma espiral na qual se podem ver as etapas, as personagens e os momentos principais da guerra e, quando se chega ao fim do percurso, entra-se numa esfera onde vemos imagens da época. Após a esfera, a exposição continua, mas de uma forma mais clássica, ou seja, veem-se imagens, objetos, armas e maquetes de bombas com as respetivas legendas ao lado.

A visita terminou por volta das 16h00 quando se iniciou a viagem de regresso ao Liceu e a chegada ocorreu por volta das 18h30. Foi um dia em cheio! A parte que preferi foi o Cemitério, pois foi especial para mim. É um lugar lindo e calmo, onde se sente perfeitamente o respeito pelos soldados, mas igualmente pelas vítimas da II Guerra Mundial.

 

Maria Rodrigues

Aluna do 11º ano da Secção Portuguesa do Lycée International de Saint Germain-en-Laye

 

Gostou deste artigo? Vote, participe!
Votação do Leitor 4 Votos
4.7
X